Hank Azaria vai deixar de dar voz a Apu Nahasapeemapetilon em "Os Simpsons", na sequência de acusações de uma caracterização estereotipada da personagem de origem indiana.

O ator e comediante caucasiano estava associado ao vendedor de um supermercado de Springfield há 31 anos, desde o início da série de Matt Groening.

Ainda não foi confirmado se Apu continuará a aparecer nos episódios da animação. "O que [os produtores] farão com o Apu é decisão deles", disse Azaria ao site Slash Film. "Só concordámos que eu não voltaria a dar-lhe voz", assinalou.

Em 2018, Matt Groening assegurou que a personagem não iria ser removida. "Sim, adoramos o Apu. Temos orgulho do Apu", sublinhou.

A declaração, que respondeu à questão de um fã na convenção D23, nos arredores de Los Angeles, reforçou as declarações feitas ao jornal USA Today em 2017. "Acho que estamos a viver um tempo na nossa cultura em que as pessoas adoram fingir que estão ofendidas", afirmou o criador de "Os Simpsons" na altura.

O produtor executivo Al Jean também já tinha sugerido que Apu deveria continuar na série, numa entrevista ao site Indiewire, também em 2018. "Não queremos ofender as pessoas mas também queremos ser divertidos. Não queremos ser completamente politicamente corretos. Nunca o fomos", explicou.

"O problema com Apu"

O ator e comediante de origem indiana Hari Kondabolu fez um documentário, estreado em novembro de 2017, com o título "The problem with Apu" ("O problema com Apu"), no qual denuncia os estereótipos associados à personagem, começando pelo seu sotaque carregado.

O criador de "Os Simpsons", Matt Groening, e Azaria recusaram aparecer no filme para responder a perguntas sobre o tema.

Após a estreia, Azaria opinou publicamente que esta "levantou pontos muito interessantes", mas a produção da série não reagiu até 8 de abril de 2018, no episódio 633. Nele, Marge tenta apagar de um livro infantil que comprou todos os elementos que podem ferir a sensibilidade de alguém. Depois, lê a versão censurada da história à sua filha Lisa, que a acha aborrecida.

"O que posso eu fazer?", pergunta Marge. "É difícil dizer", responde Lisa, olhando para os espectadores. "Uma coisa que começou há décadas e era aplaudida e inofensiva agora é politicamente incorreta. O que se pode fazer?", diz Lisa, voltando-se para um retrato de Apu, para o qual pisca o olho.

"Algumas coisas serão resolvidas mais para frente", diz Marge. "Ou talvez não", conclui Lisa.

Esta alusão, mal recebida por muitos observadores, aumentou a polémica, até ao ponto em que Azaria propôs deixar de dar voz a Apu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.