Com dez episódios de 30 minutos cada, "Now Apocalypse" junta Gregg Araki e Steven Soderbergh num projeto a estrear a 10 de março no canal Starz, nos EUA. Antes, no final de janeiro, vai ter uma exibição especial no Festival de Cinema Independente de Sundance.

Araki, habitualmente apontado como um dos nomes-chave do novo cinema queer ("The Living End", "The Doom Generation", "Mysterious Skin"), criou e realizou a série descrita como uma comédia "surreal, arrojada e sexy". O norte-americano é ainda coargumentista ao lado de Karley Sciortino, criadora de "Slutever", da Viceland.

Já Soderbergh ("Sexo, Mentiras e Vídeo", "Ocean's Eleven - Façam as Vossas Apostas", "Magic Mike") assumiu a produção executiva, ao lado de Araki e Gregory Jacobs ("The Laundromat"), e confessou à Variety que o argumento está entre "as coisas mais loucas" que já leu. "Não seremos responsáveis pelas cabeças partidas ao meio quando as pessoas a virem", alertou.

"Now Apocalypse" é apresentada como uma história sobre o crescimento, a identidade, a sexualidade e a fama centrada num grupo de jovens amigos de Los Angeles. O ponto de partida são as aventuras românticas e sexuais do protagonista, Ulysses, através de aplicações de encontros, que aos poucos se conjugam com suspeitas de uma conspiração "negra e monstruosa".

A combinação de comédia surreal e sexual com sugestões de ficção científica parece estar na linha de alguns filmes de culto de Araki, como "Kaboom - Alucinação", de 2010.

"Now Apocalypse" dá continuidade ao trabalho do realizador no pequeno ecrã depois de ter dirigido episódios de "Red Oaks", "Riverdale", "Por Treze Razões" ou "Heathers". Soderbergh também tem mantido um percurso regular e amplo na televisão, enquanto realizador e produtor executivo, em séries como "The Knick", "The Girlfriend Experience", "Mosaic" ou "Godless".

Avan Jogia ("Ghost Wars") encarna o protagonista e o elenco principal conta com Beau Mirchoff ("Família de Acolhimento"), Roxane Mesquida ("Gossip Girl") e Kelli Berglund ("Lab Rats").

O diretor de programação do Starz, Carmi Zlotnik, assinalou à Variety que a visão "única e desafiante" de Araki é o passo mais recente na estratégia de oferecer histórias "diversificadas e envolventes". Em 2017, o canal estreou "American Gods", baseada num romance de Neil Gaiman e encarada por muitos como a sua aposta mais transgressora.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.