Diversidade

Mais de um terço dos nomeados para categorias de representação foram para atores negros, um recorde.

Entre eles estão Billy Porter ("Pose"), Sterling K. Brown ("This Is Us" e "The Marvelous Mrs Maisel"), Issa Rae ("Insecure") e Regina King, de "Watchmen", série com mais nomeações (26).

O aumento do número de nomeações de artistas negros confirmou os esforços da Academia de Televisão para impulsionar a diversidade racial no pequeno ecrã, embora não existam nomeados latinos este ano.

"As vidas dos negros importam. As histórias negras importam", escreveu a Academia esta terça-feira.

O anúncio dos nomeados para os Emmys acontece no meio de um processo de reflexão nacional sobre raça, com protestos contra o racismo e a brutalidade policial em todo o país.

"Este tipo de representação é algo que vem há muito tempo. Não há escassez de talento dentro da comunidade negra", declarou ao programa 'Entertainment Tonight' Yahya Abdul-Mateen II, na corrida por "Watchmen", da HBO.

"Às vezes são necessárias algumas circunstâncias no mundo para que as pessoas abram os olhos e se abram, para que ampliem sua visão", frisou.

Estreias

A quantidade de conteúdo televisivo elegível para os Emmys aumenta todos os ano. Em 2020, enquanto a Netflix conquistou um recorde de 160 indicações, novas plataformas de streaming entraram entre os candidatos.

A Disney+ deixou a sua marca com 19 nomeações, 15 delas para o seu maior trunfo, a série "The Mandelorian", que faz parte do universo de "Star Wars".

A Apple TV+ recebeu 18 nomeações, incluindo as de Jennifer Aniston, Steve Carell e Billy Crudup pelas atuações na série "The Morning Show".

A nova plataforma de streaming Quibi recebeu 18 nomeações, incluindo a sátira policial "Reno 911!" e a série de suspense "Most Dangerous Game".

Pai e filha

O ator Ron Cephas Jones, de "This is Us", e sua filha Jasmine Cephas Jones, que ganhou fama por integrar o elenco original do musical da Broadway "Hamilton", foram nomeados na edição 2020 dos Emmys.

Ron Cephas Jones foi  nomeado pelo seu papel no drama familiar, pelo qual foi premiado em 2018, enquanto a filha concorre pela participação no drama da Quibi "#FreeRayshawn".

"Ainda estou chocada! Obrigado à @TelevisionAcad por esta nomeação aos Emmys!", comemorou Jasmine em um tweet. "Orgulhosos de fazer parte de histórias importantes deste tempos", sublinhou.

Joe Exotic contra... Michael Jordan

A série da Netflix "Tiger King", que se tornou viral no início do confinamento da COVID-19 no mundo, vai medir forças com "The Last Dance", série documental sobre a vida de Michael Jordan.

As duas obras competem na categoria Melhor Documentário, na qual também estão "Hillary", da Hulu, sobre a derrota da candidata democrata nas últimas eleições presidenciais americanas; "American Masters", da PBS, que acompanha a vida de artistas de destaque; e "McMillion$", da HBO, sobre o esquema que atingiu o jogo de Monopoly do McDonald's.

"The Last Dance", que foi ar quando todas as ligas de desporto profissional no mundo estavam suspensas devido à pandemia, foi o documentário mais visto da história da ESPN.

"Estou muito orgulhoso de toda a nossa equipa, que trabalhou incansavelmente durante anos para fazer de 'The Last Dance' o que se tornou", declarou o realizador do documentário, Jason Hehir.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.