“Kadhafi, O Nosso Melhor Inimigo” e “Kadhafi, Vivo ou Morto?” são os dois documentários realizados por Antoine Vitkine que compõem o Especial Kadhafi exibido pela Canal Odisseia a 29 de agosto, a partir das 22h00 - um mergulho nos negócios, sonhos e ímpetos imperialistas do ditador líbio que prometeu lutar «até à vitória ou martírio».

O primeiro documentário deste especial, “Kadhafi, O Nosso Melhor Inimigo”, que o Odisseia exibe às 22h00, é resultado de uma exaustiva investigação que conta a história do ditador líbio que passou de um pária, acusado de patrocinar o terrorismo internacional, a aliado do Ocidente, com declarações inéditas de autoridades políticas como a ex-secretária de Estado americana Condoleezza Rice e o ex-primeiro ministro britânico Tony Blair.

Depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, "é claro que olhamos quem está com a al-Qaeda e quem não está. O fato de a Líbia ter denunciado a al-Qaeda era um sinal importante", explicou Rice em entrevista a este documentário revelador, justificando a sua aproximação ao líder líbio e o papel de Trípoli na luta contra a al-Qaeda.
O mesmo homem que em 1980 era declarado o inimigo público número 1 do mundo ocidental sentou-se em 2009 em importantes banquetes oficiais com os principais mandatários do mundo, que o consideravam um fiel aliado do Ocidente. Com semelhante historial, como puderam os países ocidentais assinar a paz com Kadhafi? Quando os "serviços secretos (líbios) se ofereceram para cooperar na batalha contra o terrorismo, é claro que era insólito, mas, ao mesmo tempo, sabia que o 11 de setembro tinha mudado o mundo e voltava a configurar as alianças", explica Tony Blair.

Ao longo de 60 minutos, com realização de Antoine Vitkine, os espectadores podem ainda ficar a conhecer a importância do petróleo na reconciliação dos países ocidentais com a Líbia, contra a qual a ONU tinha imposto um embargo em 1992 depois dos atentados contra um voo da UTA (1989, 170 mortos) e contra um avião da PanAm sobre Lockerbie (1988, 270 mortos).
Esta complicada história de violência, dinheiro, duplicidade de interesses e diplomacia internacional conta ainda com declarações de Martin Indyk, ex-conselheiro do presidente americano Bill Clinton; o ex-ministro francês das Relações Exteriores, Roland Dumas, e a ex-comissária europeia das Relações Exteriores, Benita Ferrero Waldner.

Pelas 23h00, o Odisseia exibe “Kadhafi, Vivo ou Morto?”, um relato contado em primeira mão pelos protagonistas de um longo historial de relações turbulentas, conflitos e ataques entre a Líbia de Kadhafi e os países ocidentais, o mesmo Ocidente que, depois de lhe propiciar um regresso digno ao contexto político internacional, acabou também por contribuir de maneira decisiva para a sua queda.

Neste documentário, o Odisseia explora, em 60 minutos, as chaves que propiciaram a ruptura definitiva da aliança entre Kadhafi e os países ocidentais e o final desta cruel saga em 2011, que terminou com uma explosão popular de raiva e sangue de milhares de civis durante oito meses.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.