"É um filme de Natal e trata-se da descoberta do Klaus, através do Jesper, uma personagem de Smeerensburg que vai ter um castigo... vai ter de escrever seis mil cartas para o Klaus, que é o Pai Natal. Ao princípio tem uma grande dificuldade porque ninguém escreve em Smeerensburg, ninguém é simpático. Dá-se toda a gente muito mal na aldeia e ele consegue, através de muitas aventuras e com o Klaus, as seis mil cartas e Smeerensburg torna-se num local incrível para viver e ele já não quer voltar para casa". Este é o ponto de partida de "Kalus", segundo César Mourão. O filme de animação estreia esta sexta-feira, dia 15 de novembro, na Netflix, e conta com Mia Rose, César Mourão e Luís Mascarenhas.

O filme representa a primeira vez que a Netflix destaca talento português para dar voz às suas personagens. A equipa que realizou "Klaus", a SPA Studios, de Madrid, conta ainda com dois portugueses: Sérgio Martins, Animation Supervisor e Edgar Martins, Supervisor do Story Department.

VEJA O TRAILER:

De acordo com a Netflix, "Klaus" acompanha a história de Jesper (César Mourão), que é considerado o pior aluno na escola para carteiros e é enviado para Smeerensburg, uma ilha gelada sob o Círculo Polar Ártico, onde os habitantes mal trocam duas palavras.

"Jesper está prestes a desistir quando conhece a professora Alva (Mia Rose). Também descobre Klaus (Luís Mascarenhas), um misterioso carpinteiro que vive sozinho numa cabana cheia de brinquedos feitos à mão. Estas amizades improváveis fazem com que as gargalhadas regressem a Smeerensburg, criando assim um novo legado de vizinhos generosos, tradições mágicas e meias carinhosamente penduradas na chaminé", avança o serviço de streaming em comunicado.

KLAUS

Para Luís Mascarenhas, que já deu a várias vezes voz ao Pai Natal, "Klaus tem uma figura imponente". "É um homem muito grande, que cria algum receio ao início. O Jesper tem muito dele ao início porque anda com um machado a cortar árvores. Mas é uma personagem interessante e com uma abordagem diferente", conta o ator ao SAPO Mag.

Durante a aventura, Jesper conhece a professora Alva, personagem da atriz e cantora Mia Rose. "No início do filme, a Alva é um bocadinho resmungona, parece que está de mau humor. É apresentada como uma peixeira em Smeerensburg, mas a paixão dela é ensinar. Ela é professora... só que vive numa aldeia, numa vila, onde as crianças não aprendem, não vão à escola e perde um pouco o seu propósito", começa por explicar.

"Interpretar a Alva foi giro porque há uma dualidade na personalidade dela, que é interessante descobrir. Ela começa o filme como resmungona e depois torna-se mais simpática, mais fofinha. Foi muito giro para mim", confessa Mia Rose.

klaus

Para César Mourão, a "transformação do Jesper" é um dos ingredientes principais do filme. "Ele descobre que é na simplicidade das coisas que está a felicidade e não em tudo o resto. Isso foi o que mais me fascinou", conta o ator em conversa com o SAPO Mag.

"Há imensas coisas que nós sabemos sobre o Pai Natal, o Klaus. Aquelas coisas de quando um rapaz se porta mal, ele leva com carvão; que há lista dos bons e dos maus... É giro ver como eles conseguiram criar isso no quotidiano e como inventaram, neste caso o Jesper, as regras. Achei fascinante", acrescenta Mia Rose.

"Klaus", uma história criada e dirigida pelo espanhol Sergio Pablos, co-criador de " Gru - O Maldisposto", já se encontra disponível na Netflix Portugal. "O que diria para convencer a verem o filme? Eu não diria nada porque acho é um filme que não é preciso ser convencido para se ir ver. É um filme que fala do Natal com outra perspectiva, com outra roupagem e com outra visão. Faz com que as crianças queiram ir ver e, portanto, qualquer frase que nós possamos dizer aqui ficará muito aquém do filme", frisa César Mourão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.