Em declarações à Inforpress, a coordenadora do projeto, Mariangela Fornuto, explicou que o projeto “Xalabas-di kumunidadi” conta com o financiamento de 50 mil contos, a ser implementado nos bairros da Achada Grande e Lém Ferreira, por um período de 36 meses e visa contribuir para uma maior integração das comunidades no desenvolvimento do turismo sustentável em Cabo Verde.

Segundo a responsável, o projeto engloba programas a nível do turismo de voluntariado e comunitário, requalificação urbana dos bairros, visando o reforço e melhoramento das comunidades.

Adiantou que o projeto de televisão digital denominado “Txeka zona- tv comunitário”, é uma das iniciativas levadas a cabo pela Associação Pilorinku e Africa 70, no âmbito do projeto “Xalabas-de kumunidade”, financiado pela União Europeia.

“O projeto de televisão digital são produções realizadas pelos jovens da comunidade, formandos em multimédia e contem conteúdos sobre o quotidiano do bairro, com aspetos reais da vida da comunidade”, esclareceu a coordenadora, que avançou que a plataforma online será lançada este sábado, na zona de Achada Grande Frente, onde serão feitas as primeiras exibições deste projeto.

Assegurou que os vídeos vão estar disponíveis na plataforma online para quem quiser consultar, mas revelou que pelo menos, uma vez por mês, será exibida em tela no bairro para facilitar o acesso à informação daqueles que não tem acesso à internet, tendo assegurado que a ideia é produzir dois vídeos por mês.

À margem do lançamento da televisão online, está prevista também a inauguração de uma nova estrutura que inclui um quiosque com esplanada e um sanitário público com duas casas de banho, que irão servir as pessoas que não dispõem ainda de casas de banho.

“Essa estrutura era um chafariz que estava abandono e inutilizado e que foi transformado num novo espaço público, com condições higiénicas e sanitárias, que irá valorizar o bairro”, sublinhou a coordenadora, explicando que o quiosque irá vender diversos tipos de produtos para garantir a sustentabilidade do espaço.

Adiantou que o espaço vai ser palco da 5ª edição do Festival de Cinema Europeu em Cabo Verde, que irá decorrer de 24 a 26 deste mês, com exibição de filmes de curtas-metragens.

“Xalabas” é a marca do projeto, das atividades e dos produtos e surgiu na comunidade a partir das dinâmicas com os moradores que identificaram o “xalabas”, instrumento tradicional de pesca artesanal, como um símbolo que remete à identidade do lugar, à ligação ao mar e à pesca, e que simboliza o ato de juntar e de levantar, assim como o esforço quotidiano para o sustento da comunidade.

O projeto conta com 90 por cento (%) de financiado da União Europeia e 10% da Associação Pilorinhu e terá a duração de três anos.