Em conferência de Imprensa no Mindelo, o representante da empresa organizadora do TMCI e a SV Tur Entertainment, avançou que o TMCI é um projecto que está a ser pensado há três anos.

Segundo Eurico Évora, o TMCI somente avançou agora graças a parcerias com o David Rodrigues Media(DRM) e da sala de espetáculo De Doelen que sempre tem abraçado a música de Cabo Verde

“De Doelen mostrou-se interessado por este projecto por ser de música cabo-verdiana. É uma editora que gravou o primeiro disco de Cabo Verde e a sua sala foi um dos primeiros palcos que Cesária Évora pisou na Europa”, destacou o organizador.

Conforme Eurico Évora, o outro parceiro, a DRM, tem uma empresa de televisão privada na Holanda e seu pai fez o primeiro TCM diáspora na Holanda.

Os participantes no concurso serão escolhidos em nove países da Europa onde existem comunidades cabo-verdianas desde a Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Portugal, Itália, França, Espanha, Noruega, Suécia e ainda terá o representante de Cabo Verde que é o vencedor do TMC nacional.

“Por ser uma edição zero, não tivemos tempo suficiente para fazer concursos nesses países. Então procuramos parceiros, pessoas de renome e de grande influência nas comunidades que pudesse, escolher talentos para representar a respectiva comunidade no concurso de 4 de Abril,” explicou Eurico Évora.

Tal como acontece nos concursos regionais e no nacional, os concorrentes vão cantar duas músicas cabo-verdianas, sendo que uma será obrigatoriamente a morna.

“A nossa ideia é levar este projecto para fora para que ele continue com o mesmo conceito, ou seja, um projecto de talentos da música tradicional cabo-verdiana,” sintetizou o organizador, para quem o TMC internacional “vai criar mais dinâmica ao concurso e será um ponto importante para unir os cabo-verdianos lá fora.”

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.