Abordado pelos jornalistas, no final do encontro com o Conselho Internacional da Música e o Comité Executivo Regional da CISAC, sobre a agenda da promoção da morna, que é candidata a Património Mundial da Unesco, Abraão Vicente avançou que vão realizar um conjunto de ações diplomáticas e que estão previstos concertos em Paris, Colômbia e na Holanda.

O primeiro concerto acontece em finais de março, na sede da Unesco, em Paris, tendo o ministro explicado que isso faz parte de uma estratégia para “conquistar” votos dos países que vão votar na candidatura de Cabo Verde.

“Fazer um concerto na Assembleia Nacional, ou na Pracinha no Mindelo é importante para a promoção da morna, mas o mais importante é convencer quem vai votar em Colômbia de que a nossa candidatura está correta”, afirmou.

Informou ainda que vão levar um grupo musical e alguns intérpretes de Cabo Verde para entrarem de rompante na sala da Unesco a cantar, no momento da votação, para que todos possam perceber qual é a “força da morna”.

Cabo Verde entregou no dia 26 de março de 2018, na Unesco, em Paris (França), o dossiê técnico que marca a inscrição da morna como Património Imaterial da Humanidade. A decisão sobre este dossiê será anunciada na próxima reunião do Comité do Património Cultural Imaterial da Unesco, que acontece na Colômbia, em dezembro de 2019.