A iniciativa se enquadra nas actividades desta entidade de gestão colectiva de direitos de autor e direitos conexos, para a mitigação dos efeitos da covid-19 no sector da música.

Em declarações à Inforpress, a presidente da SCM, Solange Cesarovna, apontou que a realização dessa formação é “estratégica e fundamental” para uma melhor gestão dos processos financeiros na questão do trabalhador independente.

Acrescentou que pretende demonstrar aos formandos quais os instrumentos ou ferramentas que as instituições bancárias colocam à sua disposição, bem como a nível da segurança social, apontando as vantagens da inscrição dos artistas no Instituto Nacional de Previdência Social (INPS).

“Pretendemos trazer novas reflexões onde a gestão financeira para uma gestão de carreira é essencial”, ajuntou Solange Cesarovna.

Por outro lado, enalteceu a importância da realização dessa formação num momento em que situação da crise da covid-19 tem implicações em todos os sectores de actividades.

“Nós estamos a viver um momento muito particular, devido à situação da crise da covid-19 que tem implicações em todos os sectores e o musical foi dos mais afectados e vem criar novos desafios e determinar maior competências na classe, para a construção de maior resiliência”, observou.

Por sua vez, a cantora Fattu Djakite, uma das formadas, considerou “essencial” a realização dessa formação sobre Educação Financeira para os artistas, revelando que maioria dos colegas não sabe gerir o seu dinheiro.

“Vai ser muito importante para nós porque não sabemos usar o nosso dinheiro. As vezes participamos em muitos festivais e no final ficamos sem nada porque não sabemos usar o nosso dinheiro de um modo conveniente”, disse a vocalista do conjunto musical “Azágua”.

A formação é organizada em parceria com a Organização Internacional de Trabalho (OIT) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com o financiamento da Cooperação Luxemburguesa.

Para o efeito, foi disponibilizada uma bolsa de formação gratuita, sendo que nesta primeira fase, em respeito às limitações impostas pelas regras sanitárias em função da pandemia do covid-19, foram contemplados 15 membros, na ilha de Santiago e 15 na ilha de São Vicente.

Esta formação vai permitir a capacitação dos músicos, autores, artistas, intérpretes, executantes, produtores fonográficos no âmbito da educação financeira e a obtenção das melhores ferramentas que permitem organizar e gerir corretamente recursos financeiros e lidar com as instituições bancárias.

Propõe ainda indicar caminhos para maior rentabilidade, liquidez e segurança nos negócios do sector musical e artístico e quais   as ferramentas para uma melhor gestão neste momento de crise e para a recuperação pós-crise.

Formação similar vai acontecer, 14 a 17 de Setembro, em Mindelo, São Vicente, para os membros da SCM da região norte do País.

OM/CP

Inforpress/Fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.