A organização, a cargo da câmara da Ribeira Grande, ainda não divulgou o cartaz do festival, com mais de duas décadas de existência, mas está confirmada a presença da banda Aywa, composta por músicos de França e Marrocos, que promete trazer “um mix explosivo” de ritmos originais e rebeldes, desde reggae, rock, world music e jazz.

Este certame é um projecto da rede cultural, formada por 30 cidades distribuídas por dez países do mediterrâneo e do mundo lusófono, mais precisamente de Cabo Verde, Brasil, Portugal, Croácia, França, Itália, Marrocos, Portugal, Roménia, Eslovénia, Espanha e Tunísia.

Ainda no âmbito deste festival, Ribeira Grande de Santo Antão recebe, a 08 de novembro, a exposição “Ideogrammi II”, de Vasko Vidmar (Eslovénia).

Durante o evento, este pintor da Eslovénia realizará três residências artísticas nas ilhas Brava, Fogo e Santo Antão, e laboratórios de pintura gratuitos nas escolas de São Filipe, no Fogo, na Brava e na Ribeira Grande.

Este evento acontece em Cabo Verde desde 1998, conta com o apoio da Embaixada do Luxemburgo em Cabo Verde, em parceria com as câmaras municipais da Brava, do Maio, da Ribeira Grande de Santo Antão, de Santa Catarina (Santiago), de São Filipe (Fogo) e do Tarrafal de Santiago, e com o alto patrocínio da Presidência da República.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.