Doze violinistas de várias gerações subiram ao palco do festival, que homenageia Nhô Kzik, exímio executante santantonense deste instrumento musical, já falecido, num espectáculo muito aplaudido pelo público que encheu a praça da cidade da Ponta do Sol.

Pedro Santos e Domingos Costa (Santo Antão), Zezinho Cruz e César Costa (São Vicente), João Soares (Sal), Adriano Lima e Noel Fortes (Boa Vista) e Alfredo Ramos (Brava) foram os violistas “seniores” que marcaram presença no festival nacional de violino “Nhô Kzik”.

Em destaque estiveram também os jovens promessas Júnior Cruz (Santo Antão), Dénio Fonseca, Priscila Cruz e Danila Silva (São Vicente).

Este certame que, segundo o edil ribeira-grandense, Orlando Delgado, foi um contributo da sua autarquia à candidatura da morna a património imaterial da humanidade.

Para Orlando Delgado, este evento constitui, de facto, um encontro de gerações das diferentes ilhas e ficou, uma vez mais, provado que o festival de violino, o primeiro festival temático criado em Cabo Verde, tem todas as condições para continuar a realizar-se.

A Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santo Antão gastou cerca de mil contos na realização do espectáculo que contou com parceria dos municípios dos quais os artistas são oriundos, segundo o vereador da cultura desta edilidade, Francisco Dias, para quem realizou-se “um grande festival de violino”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.