Em declarações à Inforpress, o vereador da Juventude, Cultura, Turismo e Formação Profissional, Jaquelino Varela, explicou que esta iniciativa, que se enquadra num leque de actividades promovidas pela edilidade no sentido de promover hábitos de leitura, visa, também, fazer os jovens pesquisarem e conhecer mais histórias de Santa Cruz e suas figuras.

“Santa Cruz tem grande riqueza em termos cultural, com muitas figuras que deram bastante contributo para a cultura”, declarou, acrescentando que existem muitas coisas interessantes para os jovens conhecerem e ajudar a câmara municipal a registar, resgatar e divulgar essas informações.

O concurso é destinado aos alunos do oitavo ao décimo segundo ano da Escola Secundária Alfredo da Cruz Silva (ESACS).

Tendo em conta que o povo cabo-verdiano tem “pouco hábito” de leitura, avançou o vereador, além deste concurso a câmara de Santa Cruz tem desenvolvido um conjunto de iniciativas como espaços de conversa aberta com pessoas ligadas à literatura, visando, “essencialmente”, semear na mente das crianças o hábito da escrita e leitura.

“É uma sementeira que já começamos porque já sabemos que o povo cabo-verdiano não tem hábito de leitura, portanto, inicialmente não é algo fácil. Digamos assim que é algo novo que estamos a introduzir na nossa comunidade, que só vamos recolher frutos mais tarde”, reconheceu.

A organização mostrou-se “entusiasmada”, com expectativa “muito elevada” e “entusiasmada” com o possível resultado do concurso, tendo em conta a riqueza histórica de Santa Cruz.

“Nossos alunos são muito criativos é basta lançar desafios para eles apresentarem trabalhos que nem imaginamos”, observou, indicando que vai ser analisada a criatividade, assim como o tema, que tem que ser sobre o município, ficando o critério de classificação a cargo do colectivo da língua portuguesa da ESACS.

Quanto ao prémio, Jaquelino Varela garantiu que vai haver um valor monetário “simbólico” de 15 mil escudos para o primeiro classificado, 10 para o segundo e sete para o terceiro.

Entretanto, o mesmo considerou que o prémio “mais importante” é a distribuição de um kit cultural constituído por livros de autores clássicos de Cabo Verde, assim como álbuns de artistas nacionais, particularmente santa-cruzenses, e uma estatueta feita de material acrílico para o primeiro, segundo e terceiro classificado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.