Ulisses Correia e Silva lançou este repto no acto de abertura do 1º Fórum Internacional de Industrias Criativas, Direito de Autor e Turismo Cultural, a que presidiu num dos hotéis da cidade turística de Santa Maria, perante várias individualidades ligadas à música, tanto locais como nacionais e estrangeiros.

“É uma concentração de uma iniciativa na ilha do Sal e em Santa Maria, para podermos conseguir, de facto, esta classificação de Santa Maria como cidade amiga do direito do autor”, instigou o governante, para quem está-se a começar “muito bem”, já que o Festival de Santa Maria, conforme aludiu, vai ser uma montra daquilo que deve ser, a partir de agora, isto é, respeita o direito do autor.

Neste contexto, Ulisses Correia e Silva disse acreditar que a cidade amiga do direito do autor e do turismo andarão “seguramente” de mãos dadas na promoção de Cabo Verde no exterior e da ilha do Sal.

O evento promovido pela Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM) ocorre num ano em que se espera que a morna seja declarada como património mundial da humanidade, cujo resultado deverá ser conhecido no dia 09 de Dezembro do corrente ano.

Durante o fórum será apresentado o projecto ‘Copyright Friendly Label’, reunindo especialistas nacionais e internacionais e da área das indústrias criativas e do direito de autor.

Esta iniciativa, segundo reiterou o chefe do executivo, vai projectar Santa Maria e Cabo Verde no mundo, daí a importância da adesão de todos, asseverando que é responsabilidade do Governo criar um ambiente institucional “favorável” ao desenvolvimento da cultura e das indústrias criativas.

“E temo-lo feito”, assegurou.

O presidente da Câmara Municipal do Sal, Júlio Lopes, por seu lado, considerou que é “da mais elementar justiça” que aqueles que têm o dom de criatividade, de composição e música devam ser compensados financeiramente pelo seu trabalho, como qualquer outro profissional.

Para o autarca, a realização deste fórum é um “momento histórico” para a afirmação da Sociedade Cabo-Verdiana de Autores.

“A câmara do Sal, como uma autarquia amiga dos autores, dos músicos, dos homens e das mulheres da cultura reconhece e apoia a sociedade cabo-verdiana de autores nesta etapa da dignificação dos nossos artistas”, manifestou, realçando que Sal foi o primeiro município a pagar os direitos de autor para a realização do Festival Internacional de Santa Maria, que  arranca este fim-de-semana.

Para a realização deste evento internacional, a Sociedade Cabo-verdiana de Música conta com a parceria da Confederação Internacional da Sociedade de Autores e Compositores (CISAC), Governo de Cabo Verde, Câmara Municipal do Sal e a Câmara do Turismo, autores, artistas, músicos, utilizadores de música e parceiros do sector privado da ilha do Sal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.