Abraão Vicente fez este anúncio no ato de inauguração do busto da exímia pianista Tututa Évora, perante presença de um número considerável de munícipes que aplaudiu a intenção.

Tendo-se já concebido o busto de Antoni Denti d’Oro, Abraão Vicente disse que está igualmente planeado as estátuas de Luís Morais, Manuel d’Novas, Ildo Lobo, em Pedra de Lume, Nha Nácia Gomi, Bibinha Cabral e Sema Lopi, os tradicionalistas.

“Eu não quero fazer promessas. Ao dizer isso podem ter a certeza que vai ser cumprido”, assegurou.

Quanto à ideia da edificação da imagem de Ildo Lobo, em Pedra de Lume, Abraão Vicente garantiu que já foi encomendada uma estátua em pedra, numa imitação corpo inteiro do cantor, uma das vozes maiores de Cabo Verde, que marcou toda uma geração cabo-verdiana.

“E, nós queremos que esta estátua seja um ponto de referência, um ponto turístico… neste ano que tenho a plena convicção que morna vai ser consagrada Património da Humanidade”, exteriorizou.

Segundo o governante, a escolha do Ildo não foi por acaso, não só pela grandeza do homem, da voz, mas porque o Ildo, de certa forma, disse, representa uma das vozes masculinas “mais proeminentes” que Cabo Verde já teve.

“Tentaremos cumprir essa promessa ainda neste ano antes de 03 de dezembro, a data que, em Colômbia iremos ouvir o veredicto. Se morna é ou não Património da Humanidade (…), formalmente, porque para nós os cabo-verdianos já o é”, disse.

“Tudo aquilo que pudermos fazer para preservar a memória dos nossos grandes artistas e criadores, assim o faremos”, concluiu o governante.

Ildo Lobo nasceu em 1953, em Pedra de Lume, na ilha do Sal, tendo falecido a 20 de outubro de 2004, aos 51 anos, vítima de um ataque cardíaco na sequência de uma queda.

Antes de morrer deixou pronto um novo disco, intitulado “Incondicional- Confidência”.

A morte do cantor cabo-verdiano, que se preparava para lançar o seu terceiro álbum de originais, provocou uma onda de consternação no país.