Já tem três singles no mercado, mas foi com o tema “Amor Bandido” que Ruben Teixeira alcançou projeção nacional.  Em entrevista ao SAPO, Ruben conta sobre como começou a sua carreira musical e os planos para o futuro.

Filho de pais da ilha do Fogo, Ruben António de Pina Teixeira, de 21 anos, nasceu na cidade da Praia, mais concretamente no bairro de Safende. Recorda que o seu primeiro contacto com a música deu-se na Igreja.

“Fazia parte do grupo Louvor da Igreja do meu bairro onde cantava e depois comecei a tocar alguns instrumentos como o teclado”, recorda o jovem, salientando que foi assim que começou a ganhar bagagem e que hoje quer aperfeiçoar o que já aprendeu para continuar para singrar no mundo da música.

“Pretendo ir longe na música e estou a lutar por isso para aperfeiçoar o meu trabalho, já que o meu objetivo é ser um grande cantor e ser reconhecido internacionalmente”.

Em dezembro de 2018, lançou o seu primeiro tema intitulado “Dja Finda” que contou com a produção musical de Goldbeats (Amaral Fortes).

Entretanto, foi com o lançamento do segundo single “Amor Bandido” em outubro do ano passado (2019), que Ruben decidiu encarar a música de forma mais séria e começou a ganhar maior projeção no mercado nacional. O jovem diz que o tema teve maior aceitação por parte das pessoas.

“Sempre recebi feedback positivo e até hoje continuo a receber elogios pelo trabalho”, diz orgulhoso.

A ideia de compor esta música surgiu após uma conversa com uma amiga que contava os meandros de um relacionamento que estava a viver.  “É um amor fingido, falso e com perturbações e a partir dessa história desenvolvi o tema e surgiu “Amor Bandido”, que neste contexto refere a um amor cheio de mentiras onde as mulheres são as que mais sofrem”.

Este tema também contou com a produção musical de Goldbeats e o videoclipe foi gravado por Leocádio da Veiga.

Ama Feito Louco”, terceiro single no mercado

O terceiro trabalho de Ruben Teixeira que foi lançado no dia 21 de março, contou novamente com a produção de Goldbeats e é uma parceria com o cantor Christian Mendez. “A participação do Cristian Mendez foi boa e resultou num trabalho bonito”.

Mantendo-se num registo romântico, este tema retrata “as adversidades do amor, um amor bipolar, cheio de brigas, mas que tudo suporta”.

“A inspiração veio do violão, da melodia e, como sou um rapaz romântico, não foi difícil enquadrar a história e compor. Pois, a música para mim é uma arte, é como pintar uma tela onde a pessoa pode criar histórias e expressar aquilo que sente”.

Diz que prefere o R&B, mas que aprecia outros géneros musicais. “Consumo um pouco de tudo”.

Ainda este ano, Ruben ambiciona lançar mais um single intitulado “Preta Fina”, mas não adianta para já datas em concreto.  Pensa futuramente gravar um álbum e consolidar a sua carreira musical.

Questionado se tem um ídolo a nível nacional, Ruben responde sem rodeios que é fã do cabo-verdiano Loony Johnson com o qual gostaria um dia dividir o palco.

Defende que a música cabo-verdiana já evoluiu muito e a nível pessoal garante que continua a trabalhar para alcançar o sucesso no mercado nacional e ganhar maior projeção.

Ruben Teixeira que é estudante do 3º ano do curso Engenharia Eletrotécnica na Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), deixa uma mensagem para todos que queiram enveredar pelo mundo da música. “Digo-lhes que sejam humildes, dediquem-se e lutem para que os seus sonhos sejam realizados”.

Edna da Veiga/Estagiária

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.