Rabitandi é, segundo uma nota da produtora Harmonia, a primeira parte da trilogia “ANA” inspirada na sua mãe, e que Helio Batalha dedica à mulher cabo-verdiana.

“Aqui se retrata a luta diária da mulher rabidante que nos centros urbanos de sol a sol percorre as ruas da Praia na venda ambulante, fazendo parte de uma imagem indissociável da cultura e vivência da cidade”, lê-se.

Ainda de acordo com a mesma fonte, a música é também uma chamada de atenção para o trabalho que garante a sobrevivência de grande parte das famílias, e nomeadamente para o sofrimento que estas mães enfrentam no seu dia-a-dia.

“Vidas determinantemente marcadas por uma sociedade gerida por entidades recriminatórias que na maioria das vezes não respeitam nem valorizam esta realidade”, lê-se na mesma nota.