Segundo a responsável da SCM, a pandemia da covid-19, que está a afectar o país, provocou “grandes perdas” no sector da cultura, sendo o da música um dos mais atingidos.

“Com a interrupção de praticamente 100% (por cento) das actividades de musica ao vivo, os músicos, autores e artistas…ficaram seriamente desprotegidos, face a ausência das suas fontes de rendimento e sustento”, precisou Solange Cesarovna, para quem esta situação provocou “grandes dificuldades financeiras” na classe.

Falando em conferencia de imprensa na cidade da Praia, reconheceu que a área da musica ao vivo ficou “dramaticamente afectada”.

“Cumprindo a nossa missão solidaria, rapidamente criamos o nosso fundo social e com os meios próprios esforços que fizemos, conseguimos apoiar, durante o mês de Julho 100 membros da Sociedade Cabo-verdiana de Música em todas as ilhas”, sublinhou, acrescentando que, apesar do fim do estado de emergência, a situação musical e cultural está interdita até 31 de Outubro.

Diante do problema, a presidente da SCM afirmou ter encetado contactos com alguns parceiros, nomeadamente com o PNUD, que respondeu “positivamente”, o que permitiu manter o Fundo durante o mês de Agosto, tendo conseguido apoiar 100 membros da organização.

Face ao cenário de inactividade instalada, devido à crise sanitária da covid-19, Solange Cesarovna revelou que decidiram lançar uma campanha, a nível nacional e na diáspora, para que cada contribua, conforme as suas possibilidades, para que o referido Fundo se mantenha aberto durante os meses de Setembro e Outubro, a fim de a SCM continuar a apoiar os artistas.

“Queremos ser solidários para com os nossos membros, tem em conta que a situação está a tornar-se cada vez mais complicada”, lançou Cesarovna.

Por sua vez, a representante do PNUD, Elisabeth Gonçalves, afirmou que a organização internacional, neste período de crise, definiu áreas prioritárias a apoiar, mas não deixou de lado a questão cultural, pelo que apoiou a Plataforma de Crowdfunding UNIDO, que vai ser um “grande instrumento” para SCM alavancar mais fundos.

LC/CP

Inforpress/Fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.