O novo álbum a solo de Salvador Sobral, “Paris, Lisboa”, no qual o músico português se estreia a cantar em francês, é editado a 29 de março, anunciou hoje o agenciamento do artista.

O disco, sucessor de “Excuse Me” (2016), “que terá o selo da Valentim de Carvalho em Portugal e da Warner Music Spain para o resto do mundo, estará disponível nas lojas e em todas as plataformas digitais a 29 de Março”, refere a empresa de agenciamento e produção cultural Fado in a Box, num comunicado divulgado, referindo que esta “é a primeira vez que um artista português assina pela Warner Music Spain, um contrato de representação no mundo inteiro, à exceção de Portugal”.

Nascido em Lisboa, em 1989, Salvador Sobral ganhou maior notoriedade em 2017 depois de ter vencido o Festival Eurovisão da Canção com a música "Amar pelos dois", escrita pela irmã, Luísa Sobral.

O título do segundo álbum do músico “é inspirado numa viagem sem partida nem chegada, mas cujos pontos de união se fazem entre Paris e Lisboa, cidades de grande preponderância no processo de construção deste disco”, mas é também “uma homenagem ao clássico de Wim Wenders – ‘Paris, Texas’, de 1984, cujo argumento e realização marcaram Salvador Sobral”.

“Paris, Lisboa” é composto por 12 músicas, “em várias línguas, mas onde predomina o português”.

Com produção musical de Joel Silva (baterista que integra, entre outros, o projeto Alexander Search), o disco conta com músicas da autoria e composição de, entre outros, Luísa Sobral, Jenna Thiam, Joel Silva, Júlio Resende, André Rosinha, Leo Aldrey e o próprio Salvador Sobral.

Em “Paris, Lisboa”, o músico revisita ainda “um tema do cancioneiro de Lupicínio Rodrigues, brasileiro gaúcho, e outro de Francisca Cortesão e Afonso Cabral”.

“Salvador Sobral estreia-se neste disco a cantar na língua de Piaf, com uma valsa que podia ter sido ouvida na Paris de todos os tempos”, acrescenta a Fado in a Box.

O disco será apresentado ao vivo em Portugal em maio, no Teatro das Figuras (dia 03), em Faro, e nos Coliseus de Lisboa (dia 10) e do Porto (dia 11).

Antes disso, Salvador Sobral apresenta “Paris, Lisboa” na Polónia, na Alemanha e na Suíça, numa digressão de dez concertos em abril.

Durante este ano, o músico “voltará a Espanha para visitar ou revisitar salas por onde passou em 2018, entre elas o icónico Palau de la Música Catalana em Barcelona, e viajará pelo Mundo, com concertos já confirmados nos países bálticos e Finlândia”.

Salvador Sobral estreou-se em 2016 com "Excuse me", que apresenta inéditos, feitos em parceria com o músico venezuelano Leonardo Aldrey, e versões de temas como "Autumn in New York", um 'standard' de jazz, e "Nem eu", de Dorival Caymmi.

Em 2017, depois de ter vencido o Festival Eurovisão da Canção, Salvador Sobral apresentou-se na banda Alexander Search, projeto inspirado na poesia inglesa de Fernando Pessoa em que os músicos, tal como o poeta, assumem personagens, e cujo álbum de estreia foi editado em junho desse ano.

No final de 2017 editou o disco "Excuse me ao vivo", foi distinguido pelos European Border Breakers Awards e, juntamente com a irmã, foi escolhido como Personalidade do Ano pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal.

Depois de uma pausa na carreira por razões de saúde - fez um transplante de coração -, Salvador Sobral regressou em 2018 aos concertos, numa digressão nacional e em Espanha por conta ainda de "Excuse me".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.