Um total de 20 concertos, com aproximadamente uma hora cada um, serão transmitidos em direto pela BBC e na página na internet da sala de espetáculos [embed src="" width="" height=""], que vai voltar a abrir parcialmente a partir do dia 1 de junho pela primeira vez desde o anúncio do confinamento, no fim de março.

O pianista Stephen Hough, os cantores líricos Iestyn Davies e Mark Padmore e a pianista Mitsuko Uchida são quatros dos músicos que vão participar nos espetáculos.

A instituição insiste nas medidas de distanciamento social, que vão ser seguidas à risca: os músicos vão fazer apresentações solo ou em dueto e para um público de no máximo quatro pessoas, incluíndo um técnico de som.

As novas diretrizes apresentadas pelo governo britânico esta segunda prevêem que "os eventos culturais e desportivos que se realizem à porta fechada possam ser transmitidos" a partir de junho, desde que não impliquem "contacto social em larga escala".

"A saúde e a segurança do nosso pessoal e dos músicos serão sempre a principal preocupação do Wigmore Hall", frisou o diretor da sala, John Gilhooly.

Devido à pandemia do novo coronavírus, os teatros, museus e salas de concertos britânicos foram obrigados a fechar no final de março. Desde então, a maioria dos festivais culturais foi cancelada.

O Reino Unido pode tornar-se um "deserto cultural" se o sector não receber ajuda financeira urgente, avaliou em abril o órgão representativo da Federação de Indústrias Criativas, tanto para os artistas independentes - que não beneficiam de ajudas governamentais - como para as salas, ameaçadas pela falta de lucros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.