Em Cabo Verde para divulgar o segundo álbum - “Superamor”- Leo Pereira  fez o lançamento oficial do trabalho no concelho natal de Santa Catarina.  Este ano, 2019, conta apresentar-se em vários países da Europa e ainda nos EUA.

Em novembro do ano passado,  Leo Pereira lançou um novo trabalho discográfico, intitulado  “Superamor”. Segundo explica ao SAPO Muzika, o nome é uma junção dos conceitos ‘superação’ e ‘super amor’.

As primeiras quatro faixas do CD retratam a história de um casal apaixonado que acaba por passar por várias fases dentro de uma relação.

O CD/DVD disponível também online conta com 11 faixas e traz sonoridades da kizomba, funaná, afrobeat, afrotrap. O trabalho contou com a participação de músicos como Lejemea, Big Z Patronato, Loreta, C James, e não foge muito ao que foi o seu primeiro trabalho musical.

Este é o segundo disco de Leonildo Pereira, mais conhecido por Leo, que começou o seu percurso na produção de eventos, quando, durante uma viagem de carro para Espanha, foi desafiado pelo também cantor cabo-verdiano Lejemea, a aventurar-se no mundo da música.

E foi ao lado deste popular artista crioulo que Leo Pereira lançou o seu primeiro tema, ainda em 2015 – ‘Delira’. No mesmo ano, concretiza um sonho e gravava um álbum, que contou com quase total produção de Lejemea. Intitulado “Nha Sonho”, o disco teve, segundo Leo, boa aceitação junto do público.

A viver atualmente em Lisboa, Leo Pereira nasceu em Santa Catarina, há 28 anos. Daí que na hora de apresentar este novo trabalho em Cabo Verde, o jovem escolheu a cidade de Assomada. O show de lançamento teve lugar no dia 21 de dezembro.

“Há 12 anos que não passava o Natal em Cabo Verde e (o show) foi uma prenda de Natal”, revela.

Conta que, a partir de fevereiro deste ano, vai estar com o pé na estrada para apresentar “Superamor” junto da diáspora, nomeadamente, na Itália, França e ainda nos EUA.

“Fiz este álbum com todo o amor e carinho. Espero que seja bem-aceite e que tenha o apoio de sempre”, diz o cantor e acrescenta que as visualizações dos vídeos no Youtube também têm sido muito animadoras.

Questionado se gostaria de ser nomeado para os prémios da música cabo-verdiana, CVMA, o cantor diz que está focado noutros aspetos, apesar de salientar que é sempre bom quando o trabalho é reconhecido, por qualquer evento da área, mas que “não trabalha a pensar nisso”.