Grande figura do R&B da década de 1990, autor da conhecida canção "I Believe I Can Fly", R. Kelly domina as manchetes desde que, na semana passada, quando foi lançado um chocante documentário sobre o músico.

No documentário de seis horas, "Surviving R. Kelly", transmitido pelo canal Lifetime, várias mulheres acusam o cantor de ter tido relações sexuais com três adolescentes de menos de 16 anos quando já era maior de idade.

Outras testemunhas afirmam que Robert Sylvester Kelly, o seu nome de baptismo, rodeava-se de mulheres que transformou em escravas sexuais e que hoje estão totalmente isoladas dos seus familiares.

Lady Gaga falou sobre o tema porque gravou em 2013 uma canção com R. Kelly cujo conteúdo, e o título ("Do What U Want With My Body"), evoca as acusações dirigidas ao cantor de R&B.

"Como vítima de abuso sexual, fiz esta música e este vídeo num momento obscuro da minha vida", explicou Lady Gaga numa mensagem publicada na quarta-feira à noite na sua conta no Twitter.

"A minha intenção era criar algo extremamente provocante e desafiador", continuou, "porque estava enojada e ainda não tinha percebido o trauma que tinha vivido".

Ao olhar para o título e conteúdo da canção, "vê-se claramente até que ponto a minha mente estava perturbada", escreveu Lady Gaga, que revelou ter sido violada aos 19 anos por um produtor musical.

"Não posso voltar atrás, mas posso continuar a apoiar as mulheres, homens e pessoas de todas as identidades sexuais, de todas as origens étnicas, que são vítimas de agressão sexual", continuou a estrela.

Lady Gaga disse que vai apagar a canção de todas as plataformas de música online e que não voltará a trabalhar com R. Kelly.

"Sinto muito, tanto pela minha falta de julgamento quando era jovem, como por não ter falado antes", concluiu.