José Maria Neves, que esteve na Escola Secundária José Augusto Pinto, onde manteve uma conversa com os alunos sobre “Cabo Verde 1990/2020 – Desafios e Perspectivas”, respondia a uma questão de uma estudante sobre o que deve ser feito para promover mais a Morna.

Para o ex-primeiro-ministro, a Cesária, através da sua voz, apresentou Cabo Verde ao mundo e se hoje o país é mais conhecido “deve-o, em grande medida, à Cesária”.

Segundo José Maria Neves, a unanimidade que houve na elevação da morna a Património Cultural Imaterial da Humanidade também é graças à Cesária que levou esta música aos principais palcos do mundo.

“Morna a Património Cultural Imaterial da Humanidade é uma grande riqueza para Cabo Verde e temos que ser um pouquinho mais inteligente, para utilizarmos esse recurso estratégico para fazermos a diplomacia cultural, levarmos Cabo Verde ao mundo e transformar a Morna numa fonte de riqueza para o país,” sugeriu.

Para promover ainda mais a morna, a mesma fonte defendeu que se deveria “mudar mais os festivais” em Cabo Verde para “trazer pessoas do mundo para ouvirem a riqueza da música cabo-verdiana” e ainda criar mais espaços para divulgar a música do arquipélago e ser um “vector da diplomacia cultural no mundo.”

“Vai passar esse período de algum deslumbramento para definirmos uma estratégia, uma ideia sobre como fazer da morna, valorizar mais a Cesária, valorizar mais essa música, trazer gente do mundo para Cabo Verde, por causa da nossa música.”

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.