Segundo explicou o artista, em comunicado enviado à Inforpress, o videoclipe do single, que já está na plataforma digital youtube, teve a produção da “Claket” e contou com a participação especial do grupo Black Angels.

Segundo o artista, o single pretende exaltar o trabalho dos Mestres de Cerimónias (MC) como “liristas” e incentivando, cada vez mais, a elevação poética no Rap crioulo.

Paralelamente ao lançamento deste novo single e videoclipe, Hélio Batalha entra agora na segunda fase do seu tour de verão, depois de em meados de junho ter percorrido alguns palcos da Europa, em show cases, nomeadamente em Marselha (França) Lisboa e Bragança (Portugal), Luxemburgo e Suíça.

Nesta segunda fase, tem agendado espetáculos no país, que arranca no dia 28 deste mês na cidade do Mindelo, em São Vicente, onde promete levar batidas e as letras “cruas e conscientes” num concerto denominado “I Love Belavista”.

Em outubro, Hélio Batalha estará de volta aos palcos europeus, com novas datas a serem anunciadas oportunamente.

“Estamos a dar passos seguros e a desenhar novos caminhos e mercados para o futuro. Podem esperar novidades, a equipa está a trabalhar numa mescla de hip-hop puro em sintonia com a música cabo-verdiana, que trará novas sonoridades”, prometeu em comunicado.

Hélio Batalha começou a sua carreira musical em 2007, num concurso radiofónico promovido pelo Ministério da Saúde em colaboração com a rádio Praia FM, obtendo a primeira classificação.

Mais à frente, lançou três mix-tapes (Golpe de Stado I – 2010, Golpe Stado II -2012, Selvas de pedras -2014) que lhe foram tornando um dos nomes mais apreciados do Rap Criolo.

Em 2013, fez a sua primeira participação num projeto internacional “Dreamers”- um intercâmbio que o levou à Itália.

Entretanto, tudo veria a mudar em 2016, quando venceu na categoria de artista revelação os Cabo Verde Music Awards, devido ao mega fenómeno da sua música e videoclipe “Oh ki fome txiga”.

Nesse mesmo ano, foi um dos artistas selecionados para o Atlantic Musis Expo, tendo sido elogiado como um dos melhores showcases, valendo-lhe um destaque no caderno cultural do jornal New York Times.

Seguiram-se várias digressões para dentro e fora do país, tendo atuado na Suíça e em Portugal. Em finais de 2016 lançou o seu primeiro álbum – Karta D’Aforria.

Em 2017, completou 10 anos de carreira e é presença assídua em todos os festivais de música e principais eventos culturais cabo-verdianos, com perspetiva de várias digressões.

Veja o videoclip do single aqui