Um grupo de artistas brasileiros juntou-se a uma campanha que defende a criminalização da homofobia. De acordo com o site Portal PopLine, Supremo Tribunal Federal (SFT) começou a julgar esta quarta-feira, dia 13 de fevereiro, as ações que pedem que agressões verbais e físicas contra a comunicado LGBTQ+ sejm punidas.

Anitta, Pabllo Vittar, Preta Gil, Lia Clark, Valesca Popozuda, Gloria Groove, Claudia Leitte, IZA e Davi foram alguns dos artistas que partilharam mensagens nas redes sociais a favor da criminalização da homofobia. "Fora de moda é ser homofóbico", frisa o slogan da campanha.

Através de um vídeo partilhado nas Stories do Instagram, Anitta frisa que está "a torcer" que a criminalização seja aprovado. "Pode mudar a vida de muita, muita gente. Pensamento positivo (...) Mais uma evolução", sublinhou.

"É impressionante ver em discussões com homofóbicos como o EU é colocado na frente de qualquer consequência, para eles não importa se o Brasil é o país que mais mata LGBTs do mundo. 'Ah, mas assim EU não vou poder dizer nada se eu vir gays a darem um beijo'. Há pessoas a morrer, é difícil de entender?", escreveu o cantor Davi.