A Câmara Municipal do Maio manifestou hoje “enorme pesar” e “consternação” por esta que considera “uma perda irreparável quer para a família enlutada, quer para o povo maiense”.

“A nossa cultura ficou mais pobre, com o passamento físico daquela que é a maior referência da ilha, ao nível da Tabanca”, lê-se numa nota daquela autarquia.

Conhecida como “rainha” de Tabanca, recorda a mesma fonte, Chépa Mamai espelhou o perfume e o encanto desse género artístico, dando um “valioso” contributo na sua promoção e enraizamento tanto na cultura da ilha como do próprio país.

“Nesta hora de profunda consternação, não queríamos deixar de nos associar à onda de pesar pelo ocorrido e apresentamos as nossas mais sentidas condolências à família enlutada”, lê-se na mesma nota publicada na página oficial da Câmara Municipal do Maio no Facebook.