O espetáculo musical terá a abertura feita pelo grupo Raper Makers, que sobe ao palco por volta das 20:00, seguido do artista Rauss com a sua banda.

Por fim, chega a cantora Élida Almeida que fecha o evento, desfilando para o público mindelense os vários sucessos, que parecem ter uma boa aceitação, tendo em conta a quantidade de pessoas que a artista tem conseguido movimentar nas várias apresentações já feitas em São Vicente.

Este será assim o encerramento do espetáculo musical realizado pela câmara municipal durante dois dias, que neste domingo também levou nomes como Lateral, Djulay, Beto Alves, Rui Last One e Pen Drive à localidade periférica do Mindelo, a Ribeira de Julião.

No entanto, é não só disso que é feita a festa de São João (San Jon) em São Vicente, sendo que na parte cultural entra ainda a Associação Terra Tambor, que neste ano pretende promover uma celebração de “forma particular” e baseado no voluntariado, conforme o presidente da organização, António Tavares, avançou antes à Inforpress.

Esta decisão, segundo a mesma fonte, teve como base as eleições realizadas recentemente para a escolha do novo corpo diretivo e que não permitiram à associação, da qual é o novo presidente, ter tempo para uma “melhor preparação”.

Da programação consta a romaria marcada para o dia de hoje, 24, que neste ano vai ser feita a partir da Praça Estrela, no centro da cidade do Mindelo, até de Ribeira de Julião, onde acontecem as demonstrações de toques e dança “abertas a todos” e que António Tavares disse esperar a participação dos parceiros, coladeiras e tamboreiros de “forma voluntária”.

Isto porque, ajuntou, não vai ser possível conceder a “Tra terra d´corpo” (Tirar à terra do corpo, em português) uma “pequena gratificação” dada aos tamboreiros e coladeiras.

Esta parte profana do San Jon convive ainda com o religioso, que será composta pela missa e o acender de velas junto à capela em Ribeira de Julião, um costume ainda preservado por vários dos fiéis.