Segundo informações partilhadas no site da organização, na internet, este filme de 53 minutos, de versão original em Francês, dos realizadores alemães Jan Kerhart e Ulrich Stein, oferece uma viagem musical “emocionante” para descobrir a intérprete de “Sodade” e o seu legado.

“Se a ‘diva dos pés descalços’, considerada a rainha da morna – uma espécie de nostalgia que ela popularizou – conquistou o mundo, inspirou também muitos artistas cabo-verdianos. Por ocasião do famoso Carnaval do Mindelo, na ilha de São Vicente, onde nasceu em 1941, bem como de sessões mais íntimas, este documentário oferece um vislumbre da atual cena musical de Cabo Verde”, lê-se na sinopse do filme.

O mesmo documentário fala da importância que Cesária Évora teve na difusão da música de Cabo Verde na cena internacional, no início dos anos 90 até a sua morte em 2011.

No teaser de três minutos divulgado no site da organização pode-se ver o testemunho do produtor de Cesária Évora, Djô da Silva, e o testemunho do guitarrista e compositor Bau.

Ainda, no mesmo dia será exibido o documentário “Cesária Évora, Morna Blues” (1996), de 52 minutos, dirigido por Eric Mulet e Anaïs Prosaïc, com Tannishtha Chatterjee, Radhika Apte, Surveen Chawla.

“No palco, ela canta melodias azuis e nostálgicas com sua indiferença lendária. Este é o fim da segunda turnê americana da Cesária e, como sempre, ela conquista o público com ironia e desapego. Depois, pare em Nova Iorque antes de regressar ao Mindelo, Cabo Verde, onde Cesária nos leva de bar em bar à procura de lugares onde passou a maior parte da sua vida. Seus amigos músicos vêm encontrá-la, ela canta e dança, rainha de sua ilha perdida no meio do oceano”, lê-se na sinopse do filme.

No âmbito da 23ª edição do Festival Fiest'A Sète, que decorre de 20 de julho a 6 de agosto, no Theatre de La Mer, em Sète, está previsto, ainda, um concerto em homenagem “à diva dos pés descalços” com atuação de Lucibela, Lura, Elida Almeida, Nancy Vieira e Teófilo Chantre.

O evento reserva ainda espaço para documentários de vários outros países, oficinas para crianças e adolescentes, concertos com diversos artistas em que, segundo a organização, “quando o sol se põe sobre o mar, cada noite será uma viajem de sonho para terras distantes”.