Carlos Duarte, de 24 anos, e Deiri Duarte, de 28, são dois amigos que nasceram na ilha de São Nicolau e o interesse pela música fez com que se juntassem para cria a DC Pro, uma produtora que tem conquistado o mercado do hip hop nacional.

O interesse pela produção musical surgiu para Deiri em 2008 e para Carlos em 2011 mas foi 2013 que os seus caminhos se cruzaram. Juntos começaram a criar temas instrumentais e aos poucos a divulgar o seu trabalho em algumas plataformas digitais.

“Foi em 2014 que os instrumentais da DC Pro começaram a despertar o interesse de alguns rappers”, lembra Carlos.

“O mercado de Hip Hop em Cabo Verde é ainda pouco desenvolvido”

Expavi, Tercer Voz, Kiddye Bonz, Hélio Batalha, Batchart, Rapaz 100 Juiz, Nissah Barbosa, Révan Almeida e 4K são alguns dos artistas que já trabalharam com a DC Pro. E o grande orgulho da produtora é o ‘hit’ “Oh ki fomi Txiga”de Hélio Batalha, que foi o vencedor da categoria Melhor Hip Hop/RnB nos CVMA 2015.

“Produzimos ainda o mais recente single “Ka ta da”, de Hélio Batalha. Temos ‘hits’ no forno de artistas como Batchart, Rapaz 100 juiz, Divas Paris, etc.”, avança Carlos.

Apesar de terem participado em tantos sucessos, Carlos e Deiri consideram que o seu trabalho é pouco valorizado mas ainda assim não desistem pois afirmam, com convicção, que trabalham “por amor à música”.

“O mercado de Hip Hop em Cabo Verde é ainda pouco desenvolvido. Não conseguimos viver só da venda de beats. O Deiri vive só da música porque, além das produções que fazemos, ele é pianista, toca em vários festivais, festas de município, tocatinas em hotéis, bares, etc”, explica Carlos.

“Planos para o futuro… é fazer música sem parar”

Apesar da mudança de Deiri para a cidade da Praia, o projeto não vai parar, garante Carlos. “Estamos separados agora fisicamente, mas vamos continuar a trabalhar juntos. Ainda tenho planos para estudar produção musical fora do país, porque é isso que queremos para o futuro: música”, garante Carlos.

Para além de ritmos do Hip Hop, Deiri e Carlos pretendem apostar noutras sonoridades como o kizomba de forma a conquistar mais espaço no mercado.

Aliás, confessam que já produzem instrumentais de kizomba e que já receberam convites de artistas de renome deste género a nível nacional. “Em breve, terão novidades. Temos recebido muito apoio do lendário Cláudio Ramos, ele é a nossa fonte de inspiração”, dizem.

O desejo maior da dupla é conseguir mais e melhores condições de trabalho com um estúdio profissional, “com os equipamentos mais sofisticados e modernos”, e o reconhecimento pelo seu trabalho.

“Com muita dedicação e esforço sei que conseguimos chegar lá. Queremos é fazer música sem parar”, terminam.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.