Mac Miller foi encontrado morto após uma aparente overdose na sua casa nos arredores de Los Angeles, no passado 7 de setembro. Na altura, os serviços de emergência médica não ofereceram mais detalhes sobre o que levou à morte, mas esta segunda-feira foi divulgado o resultado do exame toxicológico.

De acordo com as novas informações, o músico de 26 anos morreu devido a uma mistura de cocaína e fentanil, um opioide que funciona como anestésico mas também é consumido como droga recreativa. Os resultados do exame também apontam a ingestão de álcool.

De acordo com o relatório publicado pelo site TMZ, que fornece detalhes sobre o estado de Miller quando foi encontrado pela polícia, as quantidades de cada droga ingerida não eram letais, mas a combinação acabou por gerar a morte. A polícia considera assim ter-se tratado de uma overdose acidental.

O rapper norte-americano morreu meses depois de terminar uma relação de dois anos com a cantora Ariana Grande - muitas vezes vista como inspiração para os seus temas

Pouco após o fim do namoro, o rapper sofreu um acidente de carro e foi condenado por conduzir sob efeito de álcool.

Na altura, Ariana Grande escreveu nas redes sociais que havia tentado, durante muito tempo, ajudar Miller a resolver o seu problema com bebidas, mas descreveu a relação como "tóxica". "Eu não sou ama, nem mãe, e nenhuma mulher dever sentir que tem de ser", disse.

Miller falou abertamente sobre os seus vícios, mas havia garantido que tinha melhorado quando editou o quinto álbum, este ano.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.