“Buska Santu” é título de uma curta-metragem da jovem realizadora Samira Vera-Cruz que vai estrear-se na cidade da Praia no próximo dia 10 de setembro.

A curta-metragem retrata a história de um pai e de um filho com a Tabanca como o pano de fundo e elemento simbólico.

“Basicamente, estamos a contar a história da Tabanca indiretamente. O filme tem paralelos como a história de um pai e um filho. O pai é tocador de viola a quem roubam o instrumento musical, meio de sobrevivência e sustento do filho. Então o “Buska Santu” consiste na busca de algo essencial à vida, nesse caso a viola”, explica a realizadora.

Segundo Samira Vera-Cruz, o filme que tem a duração de 30 minutos é inspirado no clássico do neo-realismo italiano “O Ladrão de Bicicletas” de Vittorio de Sica.

O elenco da curta-metragem, produzida pela Kriolscope Filmes, é composto por atores amadores.

“Sonhei com o filme! E como trabalho numa produtora audiovisual (Kriolscope Filmes) , juntei a minha equipa e alguns amigos e familiares e gravei o filme. Contei até com colaboração do meu namorado e de um italiano (Francesco Dragone) que surgiu do nada e se ofereceu como segunda câmara”, conta entre risos.  

Em relação a patrocínios, Samira Vera-Cruz diz que não teve nenhum tipo de financiamento. “Fiz o filme no sentido de abrir portas e mostrar que é possível contar uma história sem grandes meios e para mostrar que temos muito talento”, diz.

A obra “Buska Santu” será exibida no dia 10 do próximo mês (setembro), pelas 18h40, no Cinema do Plateau. Da programação constam ainda uma exposição fotográfica e a exibição de um pequeno documentário sobre a Tabanca, bem como uma performance artística.

“Espero que o público se espelhe no filme. Mesmo que as pessoas não se identifiquem com as personagens, vão deparar-se com a nossa música, língua e ruas da capital… vão reconhecer a nossa riqueza”.

Perfil

Samira Vera-Cruz é formada em Cinema e Comunicação Internacional pela Universidade Americana de Paris (AUP).

“Inicialmente, o meu interesse era o teatro, mas depois que fui estudar fora do país, aprendi algumas técnicas de fotografia com o meu irmão que é formado na área, optei pelo cinema e não me arrependo”, afirma.

A jovem trabalha há alguns anos como produtora audiovisual e este ano resolveu estrear-se na área de realização com a curta-metragem “Buska Santu”.

Questionada sobre projetos futuros, Samira diz que está a trabalhar na produção de uma longa-metragem que vai ser filmada no final deste ano.

”Digamos que “Buska Santu” é mais ‘soft’ e com uma mensagem positiva e no próximo filme vou abordar algumas problemáticas da sociedade, nomeadamente, problemas de saúde mental no país”.