À Inforpress, um dos promotores do evento avançou que o artista tarrafalense vai apresentar um repertório incluindo algumas das músicas que marcaram os seus 30 anos de carreira, assinados em 2018.

Conforme a mesma fonte, Beto Dias vai estar acompanhado de David Brazão e Marcos Fonseca e que ainda terá como convidado o artista Nany Dias, sendo que a animação musical vai estar a cargo dos DJ Bimba e Lass.

O evento a realizar-se no polivalente de Calheta, em São Miguel, e que terá entrada paga a 300 escudos está aprazada para a partir das 22:30.

Beto Dias, nome artístico de Alberto da Veiga Dias, é natural do concelho do Tarrafal de Santiago. Iniciou a sua carreira musical em 1988, quando integrou o grupo Rabelados como guitarrista, mas com o tempo passou a ser o líder e a principal voz da banda, ao lado do músico Meno Petcha.

Neste grupo lançou dois discos, Unidade y Amor (1989) e Sukuru (1995), tendo deixado o grupo em finais de 1996.

O primeiro disco a solo de Beto Dias, intitulado Sodadi, foi editado em dezembro de 1993, “Sol, Armonia & Fé” (1996), “Nos 2” (2000), “Kuasi Perfeitu” (2004) “Best Of (2006), Totalmente de Bo (2009).

Em 2011, o cantor venceu na categoria de Melhor Intérprete Masculino, Melhor Álbum Eletrónico e Melhor Funaná no Cabo Verde Music Awards (CVMA).

Beto Dias que tem na forja um novo CD lançou em 2015 um single que fará parte do mesmo intitulado “Nu fika djunto”.

Nu fika djunto” da autoria de Beto Dias, foi interpretado em parceria com a intérprete e compositora cabo-verdiana Suzanna Lubrano, e contou com arranjo básico também de Beto Dias e arranjo geral e produção de Dabs Lopes, guitarra de Ivan Medina, piano de Toy Vieira e coro de Ló.