Grande figura do R&B da década de 1990, autor da conhecida canção "I Believe I Can Fly", R. Kelly ocupa as manchetes desde que, há alguns dias, foi lançado um documentário sobre ele.

No filme de seis horas "Surviving R. Kelly", transmitido pelo canal por assinatura Lifetime, várias mulheres acusam o cantor de ter tido relações sexuais com três adolescentes de menos de 16 anos quando ele já era maior de idade.

Outras testemunhas afirmam que Robert Sylvester Kelly, o seu nome de batismo, se cercava de mulheres que transformou em escravas sexuais e que hoje estão totalmente isoladas dos seus familiares.

Esta segunda-feira, Faith Rodgers afirmou ter sido vítima de "intimidação e represália" por parte do artista, após tê-lo processado. Ela disse ter conhecido R. Kelly em março de 2017 depois de um dos seus concertos. Na altura, a jovem tinha 19 anos.

Agora com 20 anos, Faith apresentou uma ação em maio de 2018 para obter uma indemnização de R. Kelly. Ela afirma que o cantor iniciou "sexo não consentido, doloroso e abusivo" e omitiu a informação de que tinha herpes genital. A cantora acusa-o de a ter contaminado.

Faith Rodgers também acusa R. Kelly e a sua equipa de ter criado uma página no Facebook para a desacreditar, publicando fotos de ambos tiradas num lugar privado, disse esta segunda numa conferência de imprensa a sua advogada, Gloria Allred, que também representa outras duas alegadas vítimas do bem-sucedido músico e produtor.

A página foi apagada pela rede social algumas horas depois da sua criação.

A equipe de Rodgers disse ainda que R. Kelly escreveu uma carta para a sua advogada, Lydia Hills, ameaçando a cantora de apresentar provas médicas de que ela contraiu a doença depois de ter relações sexuais com outro homem.

A mãe de Rodgers declarou que ela e o seu marido também foram ameaçados.

O advogado de R. Kelly, Steve Greenberg, disse à AFP que a alegada carta é "uma total invenção".

Allred disse que tinha previsto reunir-se ao longo do dia com a sua cliente e agentes da polícia de Nova Iorque no âmbito de uma investigação sobre possíveis vítimas de R. Kelly.

Segundo vários meios de comunicação locais, R. Kelly é alvo de uma investigação lançada pelo promotor do distrito do condado de Fulton, do qual depende a cidade de Atlanta, onde o cantor mora.

Depois de uma convocação para depor feita pelo promotor do condado de Cook, ao qual pertence Chicago, cidade natal de R. Kelly, a polícia realizou várias verificações nos últimos dias.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.