A residir na cidade da Praia há três anos, Felismina Andrade, de nome artístico Ailine Andrade, é natural da ilha do Vulcão, mais concretamente do município dos Mosteiros, Fogo. Em entrevista ao SAPO, falou sobre o seu percurso na música e as suas ambições. “Sonho um dia poder realizar o meu sonho de ser cantora profissional e concluir os meus estudos”.

Sempre foi apaixonada pela música. “Lembro-me de quando era pequena participava nas atividades da escola onde sempre era indicada para cantar. Cantava com muito amor porque é algo que gosto e que me faz feliz”.

Aos 16 anos, fez parte de um grupo coral da Igreja do seu município dos Mosteiros, onde permaneceu por muito tempo.

“Cantava o salmo nas missas e cantava no grupo coral, onde ganhei mais firmeza e comecei a cantar noutras atividades, festas e eventos culturais do município”, recorda.

E foi na Igreja que a ligação com a música se tornou mais forte. “Recebia elogios das pessoas para levar a música mais a sério, uma vez que diziam que tinha uma boa voz”.

Em 2016, surgiu uma banda na Igreja designada “Bit Boys” e foi convidada para ser a vocalista. O jovem Luís Giovani dos Santos Rodrigues, de 21 anos, que faleceu em dezembro do ano passado (2019) em Portugal, vítima de agressão, também era um dos integrantes da banda.

“Aceitei o convite e a experiência foi muito boa. Através da banda pude vivenciar momentos que até hoje marcam a minha vida. Tive a oportunidade de participar em outros eventos maiores, como a festa do município dos Mosteiros”.

Fez coro com a Ana Lopes, uma cantora também dos Mosteiros que reside nos EUA e interpretou temas das artistas Élida Almeida e Assol Garcia. “Foi algo marcante, uma vez que, nunca tinha atuado para um público tão grande”, diz orgulhosa.

Participacão no “Voice One”

Em 2018, Ailine viajou para a cidade da Praia para participar na primeira edição do “Voice One”. “Não ganhei, mas foi uma boa experiência. Conheci outras pessoas, enfim, foi uma aprendizagem e um momento marcante na minha vida”.

Após o fim do concurso, a jovem decidiu continuar a viver na ilha de Santiago com o objetivo de focar-se mais na música e nos estudos.

“Vim para trabalhar, estudar, e, principalmente, para tentar realizar o meu sonho de ser cantora, mas infelizmente, não tem sido fácil. Até agora, tudo o que aprendi na música foi graças à minha força de vontade e muito esforço”.

Na cidade da Praia, a jovem diz que teve oportunidade de atuar em alguns espaços como o Quintal da Música e o restaurante Gamboa, onde interpretou alguns temas de cantoras como Élida Almeida, Assol Garcia e Neuza de Pina. “Foram bons momentos que guardo na memória como uma aprendizagem”.

A jovem gosta de cantar os ritmos tradicionais de Cabo Verde, mas ainda não se identifica com um único género. “Gosto de cantar morna, coladeira e gosto de valorizar aquilo que é nosso”.

Mayra Andrade, Sara Tavares, Élida Almeida, Assol Garcia e Neuza de Pina, estas duas também naturais da ilha do Fogo, são algumas das artistas cabo-verdianas que inspiram a jovem. “As suas músicas me proporcionam um certo conforto e alegria e gostaria de um dia dividir o palco com a Mayra Andrade e a Sara Tavares”.

Almeja também conseguir compor as suas próprias músicas. “O que mais quero é poder fazer algo que é meu e poder lançar-me no mercado para ser reconhecida tanto a nível nacional como internacional. Sei que não será uma luta fácil, mas o importante é correr atrás e unir o útil ao agradável para um dia realizar o meu maior sonho”.

Na mesma linha, Ailine Andrade revela que é amante de poesia e salienta que tudo que vem da arte a faz sentir feliz. “Gosto muito de declamar poemas, aliás sou também uma poetisa”, diz aos risos.

Pretende um dia escrever poemas da sua autoria. “Os poemas que declamo não são meus, mas sempre recebo feedback positivo e acredito um dia poder prestigiar as pessoas com esta arte que me cativa e que é encantadora”.

No mês em que se assinala o Dia da Mulher Cabo-verdiana, esta jovem mulher deixa uma mensagem a todas as crioulas.

“Peço que continuem a ser mulheres fortes, guerreiras, batalhadoras e com muita garra, que nós já temos, e que mesmo no meio de tantos problemas consigamos ultrapassá-los, sempre com um sorriso”.

Ailine Andrade - Ilha do Fogo
créditos: Facebook Voice One

Edna da Veiga/Estagiária

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.