O Ministro da Cultura considerou hoje, 8, no Mindelo, que “trabalha intensamente” para este ser o mandato em que o Museu Cesária Évora vai "ganhar corpo", ou na casa onde viveu a cantora ou num espaço nobre da cidade.

Abraão Vicente, que falava na manhã de hoje no ato de posse do novo representante regional do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, sublinhou que, como ministro, “não vai permitir” que “empecilhos financeiros se metam no caminho" da concretização de um projeto que deve ser “desígnio nacional”.

Lembrou, a propósito, que a Academia das Artes Cesária Évora vai nascer na Cidade da Praia porque é o espaço onde já existe o Conservatório Nacional, que se quer, também, como um “ponta-de-lança estratégico” para o Governo conseguir financiamento para as artes em Cabo Verde.

Ainda em relação à ilha de São Vicente, Abraão Vicente anunciou que será lançado nas próximas semanas o edital para o financiamento do Carnaval do Mindelo e que haverá um outro para o Carnaval nas demais ilhas, pois o objetvo é que a festa do Rei Momo, em São Vicente, ganhe dimensão e se internacionalize, ao mesmo tempo que será priorizado o artesanato, nas mais variadas dimensões, a partir do Centro Nacional de Artesanto e Design (CNAD).

Da mesma forma, anunciou para a tarde de hoje a assinatura de quatro protocolos de parceria com organizadores de diversos eventos, no Mindelo, num “sinal claro” de que São Vicente deve assumir aquilo que sempre foi falado que é um “grande pólo cultural” e "o centro das indústrias criativas" de Cabo Verde.

É que, sustentou, as “angústias” do Mindelo têm muito a ver com as potencialidades não aproveitadas da ilha.