Em comunicado, a organização justificou a homenagem a Nhonhô Hopffer Almada como forma de reconhecer o seu contributo no cenário musical em Cabo Verde.

A mesma fonte adiantou que fazem parte da programação desta edição o grande show da música alternativa com actuações de bandas nacionais e de outros países, intercâmbios e workshops.

“Na linha do ano passado, o Grito Rock Praia 2020, também, vai estar associado à causa ambiental, onde procurará chamar a atenção para os cuidados que devemos ter no nosso dia a dia visando a preservação do nosso ambiente”, refere o documento.

Neste sentido, indicou que em parceria com o Movimento 350 CV e a activista social, Luísa Lobo, vão ser desenvolvidas algumas acções em prol do meio ambiente.

O Grito Rock Praia acontece desde 2013, colocando Cabo Verde e África na rota do festival internacional de música alternativa.

De acordo com produtora ARTiKUL CJ, durante as sete edições anteriores passaram pelo palco Grito Rock Praia mais de 50 bandas de música alternativas, entre nacionais e bandas de outros países como Portugal, Brasil, Angola, Espanha/Canárias, Alemanha, Equador e Marrocos.

O objectivo da organização é que o evento continue a ser um espaço para o intercâmbio de artistas de música independente e alternativo de Cabo Verde e do mundo.

O Festival Grito Rock acontece em mais de 40 países e 400 cidades. A nível mundial é da 14ª edição apostando na valorização da música independente.

Grito Rock 2020

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.