Em conferência de imprensa hoje no Mindelo, o produtor da Boa Música, que organiza evento, Júlio do Rosário, explicou que este ano o Morna Fest estará associado às programações dos “8 anos de sodade”, que relembra o desaparecimento físico de Cesária Évora, ao Dia Nacional da Morna, celebrada hoje e à candidatura da morna à Património Imaterial da Humanidade.

“Este ano queríamos dar um colorido diferente ao evento e resolvemos expandi-lo para a cidade da Praia. Então teremos dois espectáculos, o primeiro na cidade da Praia, na sexta-feira, 13 de Dezembro e, o segundo, no sábado, em São Vicente,” avançou o produtor para quem nesses palcos estarão mais de 23 a 25 artistas, alguns que chegam do exterior.

O espectáculo na cidade da Praia será realizado na Assembleia Nacional, enquanto em São Vicente vai acontecer na pracinha do Liceu Velho com o intuito, de dar “um colorido diferente” ao evento, ajuntou a organização.

“É uma edição especial parque mudamos de sítio tendo em conta a procura que tivemos no ano passado. Está previsto que no dia 12 de Dezembro a Nação cabo-verdiana terá a decisão sobre a candidatura da morna à Património Imaterial da Humanidade, logo nos dias 13 e 14 de Dezembro termos mais esse evento,” acrescentou.

No entanto, as actividades do Morna Fest, segundo a mesma fonte, arrancaram hoje na cidade da Praia com uma palestra sobre “Vida e Obra de B.Léza” (Francisco Xavier da Cruz), patrono do Dia Nacional da Morna,  no campus da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), em Palmarejo.

Ainda na quarta-feira, o Palácio da cultura Ildo Lobo, acolhe uma “conversa aberta” sobre a morna com Germano Almeida, Jorge Tavares e Edilson Cardoso. Mas, as actividades prolongam-se até ao dia 19 de Dezembro.

Em São Vicente, conforme o técnico do Instituto do Património Cultural (IPC) e responsável pelo Núcleo Museológico Cesária Évora, as actividades começam no dia 12 com palestras no Centro Cultural do Mindelo em torno dos temas “Compositores e Interpretes da Morna: vida e obra de B.Léza” e ”Histórias da Morna”.

No dia 17, data da morte de Cesária Évora, o Núcleo Museológico Cesária Évora realiza as actividades dos “8 anos de sodade”, das quais destacam-se torneios de bisca e de oril, serenata nas ruas do Mindelo e o tradicional Kmida dˈonje ( acto de oferecer comida às pessoas) que Cesária costumava fazer em vida.

No dia 19, haverá uma conversa aberta sobre “a morna numa perspectiva cultural” na óptica de três convidados e depois e uma apresentação do processo da candidatura da Morna a Património Imaterial da Humanidade, feito por técnicos do IPC.

Na ilha do Sal, na quarta-feira terá uma palestra sobre como tocar a morna na Escola Municipal de Arte Tututa, e, no dia seguinte, um workshop sobre a morna com o professor Sandro Pimentel.

Segundo a organização a perspectiva é estender no Morna Fest a todas as ilhas do país.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.