segundo avança Humberto Lélis, presidente da comissão organizadora do festival, o Gabinete de Protecção Civil “está pronto” para atender às situações de emergência que possam ocorrer ao longo do evento, com um plano operacional montado, que comporta 24 efectivos do corpo de bombeiros municipais, uma viatura de combate a incêndios, um autotanque e duas ambulâncias prontas para atender a todas as solicitações.

Já a Cruz Vermelha de Cabo Verde vai montar na Baía um posto de atendimento permanente, com quatro enfermeiros, 24 socorristas e 30 voluntários.

E a Direcção do Ambiente da Câmara Municipal de São Vicente aposta num “festival em ambiente saudável” e vai destacar 41 trabalhadores, entre varredeiras carreiros, condutores e fiscais, os quais se ocuparão da recolha permanente do lixo ao longo do fim-de-semana do evento.Para apoiar o trabalho desse efectivo, a entidade decidiu colocar ainda no terreno dois camiões compactadores para recolha do lixo, dois autotanques para o provimento de água potável, 50 contentores de 800 litros, um camião de recolha de contentores, 10 viaturas ligeiras e um camião cisterna de sucção.

A organização vai igualmente “espalhar” 24 WC móveis pelo areal da praia da Baía das Gatas.

Mais de 300 elementos da Polícia Nacional e das Forças Armadas vão garantir a segurança durante os três dias do evento. A Polícia Nacional (PN) pediu reforço aos comandos da Praia e de Santo Antão, de onde virão, respetivamente, 15 e 10 elementos para se juntarem aos 220 colegas de São Vicente.

A Polícia estima que diariamente vão estar na praia da Baía para cima de 80 mil pessoas. Esta operação de três dias acarreta um custo à volta de quatro milhões de escudos, montante que o Comando de São Vicente mobilizou junto da direcção-nacional e da câmara de São Vicente.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.