A informação foi avançada ontem, 28, em conferência de imprensa, pelo vereador da Cultura da Câmara Municipal de Santa Cruz, Jaquelino Varela, que esteve acompanhado do edil Carlos Silva e do cabeça de cartaz, Pulonga Bita.

Segundo o autarca, o primeiro dia do evento vai ser dedicado ao Batuco, homenageando Nha Nácia Gomi e todas as mulheres, principalmente as de Santa Cruz, segundo dia ao funaná homenageando Katchás e Sema Lopi e último dia vai ser dedicado à Tabanka, onde vão homenagear figuras importantes deste ritmo como Manuzinho e Nha Bia.

Sendo assim, esta sexta-feira, 29, dedicado ao batuco, o certame arranca com animação dos grupos de dança tradicional local (Berço de Santa Cruz e PB-Show), seguido dos grupos de batuco Nova Chama, Rabenta São Pedro, Grupo Unido, Mocinhus de Interior, Raiz de Funaná, Bem pa Fika, Delta Cultura, Estrelas Unidos e Bawtuquinhas, Princezito, Associação Teatral Nha Nácia Gomi, 16 Estrelas e Teresa (Tradison di Terra), Famílias 3 Ritmos, Raiz de Tambarina e Obi bu Sumara.

Já para sábado, dia do funaná, além do cabeça de cartaz Pulonga Bita, integram a programação vários outros nomes sonantes deste ritmo como Grupo Lope, Xibiote, Stopetcha, Herança de Sema Lopi, Santus Nhu Preto, Lote Rocha, Silvino Tavares, o emblemático grupo Bulimundo, Tabanka Resa, Lizito Rocha e Belo Freire.

Para domingo, à semelhança dos anos anteriores, vai haver o desfile de tabanka a partir das 15:00 no percurso Salina – Paços do Concelho, com participação de 11 grupos deste ritmo da ilha de Santiago, mormente de Santa Cruz, Chã de Tanque, Charco, Tomba Touro, Mato Sanches, Boca Mato, Lém Cabral, Salineiro, Achada Grande, Achada Santo António e Várzea.

Jaquelino Varela informou que de momento o palco e som em Porto Acima já estão a ser montados e que vão estar prontos para o arranque do certame marcado para às 21:00.

Segundo ele, o festival, que reúne grupos, artistas e fazedores de culturas desses três ritmos tradicionais, vai decorrer num “ambiente ordeiro”, tendo em conta que a segurança vai ser assegurada pela Polícia Nacional, Bombeiros e Proteção Civil e Delegacia de Saúde.

Entretanto, lembrou que a segurança, realmente, vai depender do público, por isso, lançou um “forte apelo” aos festivaleiros para irem “viver a cultura”, mas na paz, para que o festival principie e termine num “clima de tranquilidade”.

No âmbito do certame, o presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, Carlos Silva, manteve um encontro hoje com o cabeça de cartaz Pulonga Bita, artista residente há mais de 30 anos nos Estados Unidos e que conta com seis CD no mercado e mais dois juntamente com o grupo “Os Amigos”.

Na ocasião, Pulonga Bita que, promete um novo trabalho discográfico entre agosto e setembro, entregou à edilidade um conjunto de uma cadeira de rodas e andarilhos.

O evento, que se realiza no âmbito das atividades do “Mês da Cultura da Cidade de Pedra Badejo” e ainda para comemorar os 48 anos da criação do Município de Santa Cruz, está orçado em 2.500 contos e conta com patrocínio de uma empresa de telecomunicações e do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.