À semelhança dos anos anteriores, e por esta altura do ano, a localidade piscatória de Pedra de Lume vai receber nesta quarta-feira, uma movimentação diferente, animada por várias atividades que marcam os festejos da sua santa padroeira, Nossa Senhora da Piedade.

Organizado anualmente pelo Club Verdum, para não deixar morrer esta antiga tradição, o programa que arranca às 10:00 na pequena comunidade piscatória será preenchido com animação musical na praia desde manhã, corrida de resistência, natação, corrida de velocidade, salto em altura e em cumprimento, entre outros, sendo o ponto alto das atividades, o momento de homenagem, este ano dedicado ao jovem Anacleto Santos Monteiro, conhecido por Cheda, que vem sofrendo de “doença rara” e hoje se encontra numa cadeira de rodas.

Entretanto, às 16:00 o período é reservado à habitual missa e procissão, para a partir das 20:00 se assistir à actuação de grupos de dança e de DJ’s, desfile de moda, que encerram as festividades dedicadas à Nossa Senhora da Piedade.

O promotor do evento, Alcindo Silva “Tchida”, presidente do Clube Verdum, que anualmente tem organizado as festividades em homenagem à Santa padroeira da localidade, disse que à semelhança dos anos anteriores as celebrações vão prometer, não obstante a falta de patrocínios.

“O festival vai ter lugar nos dias 24 e 25, porque os artistas que vêm actuar nos palcos de Pedra de Lume, têm também outros compromissos com os festivais de Boa Vista e São Nicolau. Vamos ter um cartaz de luxo, com grandes artistas”, assegurou.

O evento que se quer num ambiente de muita festa e civismo, à volta também das barracas de comes e bebes no local, acontece nos dias 24 e 25, com o sítio vedado e entrada paga com a módica quantia de 500 escudos, para os dois dias, devendo parte da receita reverter-se a favor de Cheda que passa por momentos difíceis.

Assim, daqui a duas semanas, a pequena praia, que dista a sete quilómetros da cidade dos Espargos, vai encher-se de música interpretada por um leque de artistas, nomeadamente Nice Socol, Nigga Show, Timas de Fogo, kalemas Band, Zé Delgado, Gaby Baessa – grupo cotchipó -, e Puto Máquina, que vem directamente de Angola.

Lito & banda, Vadis Crazy – pô na grelha, de Santa Maria -, Colectivo de Luxo, constituído por  Mirri Lobo, Zeca Nha Reinalda, Djila, Janiffer Soledade, Djony, no cavaquinho, e Clovis -, Hélio Batalha, e Kino Cabral que encerra o festival, têm a responsabilidade de sacudir a areia de Pedra de Lume.

“É a primeira vez na história de Pedra de Lume que vamos ter um cartaz desse gabarito, que reúne todas as condições para termos um grande festival”, manifestou Tchida aproveitando a ocasião para lançar um apelo às empresas locais no sentido de apoiarem, patrocinarem esta antiga tradição, para permitir também ajudar os que mais precisam, caso do Cheda, por exemplo.

Desejando, desde logo, um bom festival a todos, Tchida apela ao civismo, nota, que, aliás, “tem dominado” o Festival de Pedra de Lume nestes anos todos.