No passado dia 06, a autarquia apresentou o cartaz da 27ª edição do Festival da Gamboa, tendo anunciado a participação de MC Tranka Fulha para o Gamboa Jovem (dia gratuito), juntamente com os nomes de Romeu di Lurdes, Trakinuz, Ras Jahknow, Zé Espanhol e Hélio Batalha.

Entretanto, dias depois, através das redes sociais, várias pessoas criticaram a presença deste no festival, alegando que as suas músicas não têm conteúdo, são impróprias para as crianças, desvaloriza as mulheres, entre outros.

Na sequência, a autarquia anunciou que este foi retirado do cartaz do Gamboa Jovem, anunciou que gerou ainda mais polémica nas redes sociais, tendo algumas pessoas posicionando a favor do músico e outros contra.

O nome de MC Tranka Fulha, segundo o vereador da área da Cultura, António Lopes da Silva, foi proposto por alguém da organização e num primeiro momento pensaram que “seria interessante por este ter muita audiência”.

Entretanto, disse, depois se aperceberam de que não levaram em consideração que há outros grupos prioritários que devem constar do cartaz e por isso decidiram retirar MC Tranka Fulha.

António Lopes da Silva justificou essa decisão, por um lado, para substituir um outro grupo que venceu o Festival de Novos Talentos e, por outro lado, por entenderem que as suas músicas “não têm mensagens”.

“Todos os anos temos um grupo do Festival de Novos talentos que é realizado no início de janeiro e há 10 anos que incluímos o vencedor na Gamboa Jovem. Este ano, a organização esqueceu-se deste grupo e quando vimos essa situação tivemos que eliminar alguém e retiramos aquele com a qual não temos contrato”, alegou.

Outra razão, disse, na Gamboa Jovem querem levar pessoas com “mensagens fortes” para os jovens e não músicas “sem conteúdos”.

O responsável pelo pelouro da Cultura alegou que, antes do anúncio, não conhecia as letras das músicas do MC Tranca Fulha e que só depois de ouvi-las é que percebeu que este não tem qualquer tipo de mensagem.

Em relação aos preparativos para a 27ª edição deste Festival, marcado para os dias 17 a 19, na praia da Gamboa, e que homenageia a morna, informou que as coisas estão a “vento em popa” e que o espaço, que antes era um problema, já está preparado para receber os “artistas de excelências” e a população praienses.

Contactado pela Inforpress, o manager do MC Tranka Fulha, Daevis Carvalho, informou que realmente não tinham assinado qualquer contrato com a autarquia, mas que, mesmo assim, o artista ficou indignando com a postura da edilidade.

Segundo disse, o artista, que estava em shows pela Europa, ficou triste com o sucedido, pois já tinham a confirmação de que iria atuar no dia 19 no Gamboa Jovem, na Praia.