A noite começou com os All Star CV, um bloco de cantores cá da terra. Para ela esta foi uma estreia no Gamboa 2013. Gabriela Mendes que conta com vários anos de experiência de palco mostrou-se na mesma à vontade com o público praiense. A cantora até colocou em prática os seus dotes de percussionista e tocou tambor ao ritmo do “kola san jon”.

De São Vicente as sonoridades passaram para Santiago com o jovem Ló, conhecido pelo tema “Luz di nha vida”, um tema dedicado ao filho, como fez questão de salientar o cantor que tem feito sucesso principalmente em Santiago.

Menina da Praia, Paulinha, cantou que só é “doido quem não ama”. “Dan um sinal” foi um dos temas interpretados pela jovem cantora que protagonizou um momento de homenagem a músico Jorge Neto. Em palco esteve “Netinho”, um conhecido fã do cantor de “uau” e dançou ao lado de Paulinha.

Esta foi uma noite de estreias. Boy Gê Mendes veio pela primeira vez a solo para o palco do Gamboa e gostou da experiência e da energia positiva do público. O músico interpretou vários temas entre os quais “Ninguém”.

O dueto do evento foi mesmo o encontro inédito de gerações e estilos musicais em palco – o rapper Batchart e o homem da música tradicional cabo-verdiana Kaká Barbosa. O tema interpretado foi “Para, Rapara”, escrito especialmente para a ocasião. A polémica segundo eles não existe e Kaká Barbosa foi mais longe e disse que em Cabo Verde existe “a chamada a complicação social (comunicação social)”e que esta teve a sua cota parte de responsabilidade.

O Rei do Funaná deixou o público eufórico com as suas composições. Zeca Nha Reinalda surpreendeu tudo e todos ao interpretar o tema “Remember the time” de Michael Jackson.

Por volta das 00h00 a plateia já estava bem composta e o areal da Gamboa aparentava ter significativamente mais pessoas do que no dia anterior. Este ano, não houve o habitual fogo-de-artifício à meia-noite por ocasião das festividades do Dia do Município da Praia – 19 de Maio.Os maiores sucessos da actual música pop do Brasil ouviram-se no areal da Gamboa. “Eu quero tchu, Eu quero tcha”, “Rebolation”, “Amar não é pecado”, entre outros.

O público praiense pareceu gostar visto que aplaudia eufórico e cantava as múscias. O grupo brasileiro mas que reside no Brasil brincou bastante com o público e até fez um mix com funaná. E a recepção calorosa em Cabo Verde fez-lhes lembra o Brasil, segundo contou Valmir o vocalista da banda.

O público do Gamboa mostrou-se satisfeito com a organização do festival e vários dos inquiridos pelo SAPO Fest afirmaram que esta edição teve mais segurança, civismo e bom ambiente.

O mwangolé Yuri da Cunha regressou ao Gamboa para ser calorosamente envolvido pelo público da capital. Comunicativo, o cantor angolano brincou com o povo e até um funaná cantou e teceu elogios aos irmãos cabo-verdianos. “Cabo Verde é a minha terceira casa”, revelou no final o cantor que tem estas ilhas na muxima (coração).

O bloco All Star Europa encerrou a longa noite do festival. O homem do funaná, Zé Spanhol, entrou em palco para cantar e dançar animando os fãs presentes. Já no ano passado, o artista residente em Portugal interpretou alguns temas já populares e conhecidos do público.

Já pisou este palco noutras ocasiões mas foi uma estreia a solo. Dina Medina veio especialmente da Holanda para cantar para o público da capital. Divertida e sempre em interacção com o público, a Melhor Voz Feminina dos CVMA 2012, cantou temas do novo trabalho “Mornamente” e dançou para o contentamento do público presente.

"Odja baka brabu", disse Chando Graciosa e o público cantou em coro. Aliás o funaná foi um estilo que marcou fortemente esta edição do Gamboa 2013. Para o artista vindo da Holanda, não há nada como regressar à casa. "Já tinha saudades de vocês e da minha cidade", afirmou Chando em palco.

Na sua estreia no Gamboa, a dupla TL Dreamz contou estar francamente surpreendida com a recepção do público. Loony Johnson e Tó Semedo interpretaram vários temas, entre sucessos mais antigos a músicas do recente álbum Press&Play. Contudo o ponto alto da actuação foi mesmo o tema “Undi da ki panha”, como já era de esperar. Antes desse tema, os TL Dreamz ainda se juntaram em palco o Zé Spanhol para cantar "Na kintal".

Não houve como o Gamboa terminar antes das 06h00 da manhã. Por volta dessa hora Gil Semedo entrou em grande em palco ao cantar “Fã nº1” e não se via areia quase na praia do festival devido à enchente de gente que queria ver” o seu líder”. Visivelmente feliz e emocionado, Gil deu um show apreciado por todos e que arrancou imensos aplausos quer de miúdos quer de graúdos, tanto do público como dos artistas presentes.

Tanto a produção do evento, a GMS Entertainment, como a Câmara Municipal da Praia fizeram uma avaliação positiva do evento. Em declarações à imprensa, o vereador da Cultura, António Lopes da Silva (Tober), afirmou que o balanço desta primeira experiência de festival pago e em formato diferente do habitual é positiva. Apesar de ter confessado ter sentido algum receio sobre a adesão do público na primeira edição paga do festival, o representante da CMP revela que os resultados estão à vista e que terão passado pelo recinto só no sábado mais de 50 mil pessoas.

Domingo é dia da Gamboinha, um dia em que o festival é dedicado aos mais novos e que conta igualmente com a actuação de jovens talentos no final da tarde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.