O certame, inicialmente agendado para começar às 22:00, registou um atraso de quase três horas, tendo principiado por volta das 00:50, com a atuação dos artistas santa-catarinenses Cosmoband e Zé d’Imilia, jovem artista natural de Ribeira em Cima, residente em Portugal, que tenciona colocar o seu primeiro CD no mercado em 2019.

Apesar da performance e da “boa música”, a atuação destes artistas foi “morna”, tendo em conta a presença discreta do público no recinto, aliás, este cenário manteve-se até por volta das 02:30, altura em que os festivaleiros começaram a chegar, para presenciarem a atuação Jannifer Dias, estreante no festival, apesar de ter estado em outros palcos em Assomada.

Antes da atuação da jovem artista radicada em França, que se considera “filha de Santa Catarina”, o palco esteve reservado, já passava da uma da manhã, ao fenómeno musical de momento “cotxi pó”, com os Fidjus de Belo Freire (Titio e Mica), que perspetivam entrar em estúdio para gravarem músicas “mais profissionais”.

Mesmo com a pouca gente que respondeu presente e ao frio que se fazia sentir em Assomada, o grupo conseguiu “esquentar” muitos festivaleiros , posicionando, durante cerca 30 minutos “momentos dançantes”com este novo estilo de funaná, muito apreciado no interior de Santiago.

Porém, um dos pontos mais altos do festival aconteceu por volta das 03:20, quando Jennifer Dias, que teve maior número de público, foi sustentada pela assistência, que ficou ao rubro com a sua entrega e performances “únicos”, que aliás, cantou todas as suas músicas do alinhamento até por volta das 04:00.

“Love U”, “I need you so”, “Acerta”, “Roçare”,“Reste avec moi” (acústico) e “Viens danser” foram algumas das músicas tocadas e do conhecimento do público.

A artista, que diz ter gostado de cantar para o seu público, avançou que nos próximos dias vai sair um novo single, em dueto com um artista cabo-verdiano, sem revelar o nome, para além de um novo CD, ainda, que sai estar no mercado dentro de seis meses.

O momento seguinte foi reservado ao grupo Cabo Verde Show, que subiu ao palco por volta das 04:40 a 05:20 e tocou “grandes sucessos” da banda, com destaque para o tema “Santa Catarina” que, devido a performance do René Cabral, não merecia a fraca assistência.

O grupo, que se mostrou satisfeito por atuar neste festival, vai estar hoje no festival de música em Santa Catarina de Fogo.

Já por volta das 05:47, Jorge Neto, que regressa depois de muitos anos ao palco do Festival de Nha Santa Catarina, conseguiu cativar o público, apesar da fraca assistência, graças as suas performances “energéticas” e acompanho dos “uhaus”.

Na sua atuação, em que apresentou um alinhamento com músicas do Livity e da sua carreira individual, todos do conhecimento do público, como “Rosinha”, “Dam nha dinheiro”, Nhu Manel” , “Nu para”,e entre outras, o público entregou-se e participou, fazendo um show à parte tipo seu “cover”.

Neto, que destacou a forma como o público cantou e dançou, prometeu um novo CD para Marco de 2019, que, alias, lembrou, se não fosse a agenda lotada dos shows ia estar em dezembro no mercado.

Mito Kaskas, que estreia no Festival de Nha Santa Catarina, fez com que muito dos que já tinham abandonado o recinto regressassem, para mostrá-los que ele não é um “cantor só de rap, mas também de afro e Kizomba”.

O novo integrante da produtora Broda Music apresentou um repertório de músicas novas e outros “sucessos” do inicio de carreira, como “Tcheru maleta”, “Marmelada” “Dja dam so gana ri”, “Spreta”, e a música nova “Karanganhada”, tendo fechado, em grande, o primeiro dia do festival, por volta das 07:38 , ao som do single lançado recentemente “Oh Deus nhu lebam so si”, que levou o público à loucura.

Para este sábado, estão previstas atuações de artistas santa-catarinenses 24, JP, PCC e Six Finguers, que antecedem a Tó Semedo, Elida Almeida, Fidjus de Codé di Dona (Estados Unidos da América), Cordas do Sol e Ceuzany e Apollo G.

Entretanto, a edilidade anunciou para hoje uma “grande surpresa”, que “ficará nas memórias” da edição deste ano do Festival Nha Santa Catarina.

As festividades do Dia da Santa Padroeiro Santa Catarina e do Município, que comemoram os 184 anos, no próximo dia 25 de novembro, culminarão com uma missa solene, em honra da santa , em Cruz Grande, no mesmo dia.

(Artigo atualizado no dia 28 de novembro)