No primeiro ano em que a edição do festival de Santa Maria foi realizada por uma empresa privada e com entrada paga, o certame começou por ter um atraso de quatro horas. Só perto das 21 horas é que começou a música no recinto com Dj’s locais, no entanto, o palco esteve sem luz até às 23 horas, devido a problemas com o gerador e a animação acabou por também ter de ser interrompida.

Os primeiros artistas a subir em palco foram os DJ's Sténio e Caramba que abriram caminho para a banda municipal do Sal.

Os sons da banda municipal começaram a ouvir-se no areal depois da 00h00. O cartaz contou com a Banda Municipal do Sal que interpretou temas como, “Já sei namorar” dos Tribalistas, “Não precisa” de Paula Fernandes, entre outros.

Ivo Nunes foi o homenageado da 23ª edição do festival. Um homem da cultura salense faleceu em 2012, mas foi uma figura emblemática da ilha. O seu filho subiu ao palco para receber o prémio póstumo.

No entanto, o presidente da Câmara do Sal, Jorge Figueiredo e o vereador da cultura, Ildo Rocha, foram vaiados em palco, enquanto o vereador pedia a compreensão das pessoas para a necessidade de o espectáculo ser pago e pedia desculpas pelo atraso.

No meio do público ouvia-se “Estamos a perder a tradição do nosso festival”.

Enquanto isso, lá fora a fila para comprar bilhete prolongava-se pela marginal da praia de Santa Maria.

A batucada da “Liberdade de expressão” não era ainda conhecida do público, mas foi independentemente muito apreciada.

Depois foi a vez da salense Sílvia Medina, a vencedora do concurso de televisão de música Estrela Pop. Sílvia Medina actuou pela primeira vez no festival e afirmou mais tarde que deverá em breve gravar o seu primeiro álbum.  

Os Ferro Gaita foram o momento alto da noite com um funaná vindo da Praia, mas tão universal que colocou todos os salenses a dançar, com destaque especial para a música dedicada à selecção nacional de futebol com o refrão “Tubarão Azul é Bodona”, que emocionou o público.

A dupla Djodje e Ricky Boy admitiu: “Sal é doid”. A emoção vivida em palco e a prova que os seus fãs estavam presentes e conheciam de cor as suas letras, fez os dois jovens recuar no tempo para a época em que actuaram no festival enquanto membros do grupo TC.

Antes de terminar a actuação de Djodje, os Ferro Gaita e Ricky Boy voltaram a subir em palco para se juntarem na música “Um segundo”.  

A noite terminou Dj russa Sexation que ainda animou o recinto com a sua sensualidade na música e na imagem.

Este sábado o SAPO promete continuar a acompanhar o festival.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.