Sob o lema “Uma nova consciência ambiental”, pretende-se com o maior evento cultural da ilha do Sal, organizado pela câmara municipal, transformar o Festival Internacional de Santa Maria numa “ferramenta pedagógica pujante”, capaz de defender e chamar a atenção do público para “causas importantes” para o bem comum, como a problemática do ambiente.

Neste sentido, considerando que nos festivais há muita produção de lixo, este ano a grande novidade prende-se com a introdução de copo reciclável, tendo a autarquia ordenado uma média de 23 mil para fazer face ao problema, tendo as pessoas direito a um copo, como brinde, na compra da pulseira de acesso no valor de 500 escudos – ligeiramente mais que o ano passado, já que acoplado à valia do copo para os dois dias do certame musical.

O vereador Victor Cardoso, da organização do festival, avisou na conferência de imprensa, na tarde de hoje, que quem não se apresentar munido da pulseira e respetivo copo, não terá acesso ao espaço.

Assegurando estar tudo a posto para que o certame musical previsto para arrancar às 21:00, desta sexta-feira, aconteça sem sobressaltos, o responsável camarário garantiu um cartaz diversificado, “para todos os gostos”, com a participação de um leque de artistas e bandas nacionais e internacionais.

Desta feita, os salenses e não só terão oportunidade de ver e aprecia a Banda Municipal e “Veterânia”actuação de “Sal da ilha”, um espaço reservado aos artistas locais com a participação dos artistas que fazem a música diariamente na ilha do Sal, Primitive & Pex Show, Dom Kikas, Ki Many Marley e  Deedjay Telio.

“Dance House”, outro elenco musical, cujo espaço é reservado aos artistas cabo-verdianos que ao longo dos tempos têm vindo a representar Cabo Verde nos palcos do mundo lá fora, e “Veterância”, espaço destinado aos artistas considerados “seniores”, que deram ao longo da sua vida um “importante” contributo para a música cabo-verdiana vão igualmente sacudir os festivaleiros na areia da praia da cidade turística, que dista a 18 quilómetros dos Espargos.

“Ilha Onze”, é outro projeto cujo momento dedicado à diáspora conta com a participação de vários artistas, designadamente Tito Paris – líder da banda -, Jorge Humberto, Toy Cabecinha, Neusa de Pina e Rosa Mestre.

Cabo Verde Show, RaçaMau Show, Morgan Heritage e Black Side, são outros grupos e artistas que vão, igualmente, subir aos palcos e animar o pessoal na extensa praia de Santa Maria.

O presidente substituto, Hermínio Monteiro, também presente na conferência de imprensa, informou que os artistas já começaram a chegar à ilha, devendo estar cá todos no dia 13.

No concernente à segurança, vai ser disponibilizado um contingente de 160 agentes no terreno durante estes dois dias de festa contando, à semelhança dos anos anteriores, com a participação dos militares a par do envolvimento de uma equipa de segurança privada que também deverá estar em sintonia direta com a PN, de forma a garantir maior segurança e tranquilidade às pessoas.