A 28ª edição do Festival Santa Maria arrancou nesta sexta-feira, 14, com mais de uma hora de atraso e com alguns constrangimentos, nomeadamente, a falta de energia elétrica e na transmissão em direto que era para ser feita pela Televisão Nacional, TCV, mas devido à “falta de segurança e condições técnicas”, a mesma foi cancelada, estando previsto que seja retomada hoje, sábado. Alheios a estes constrangimentos, vários artistas que passaram pelo palco mostraram-se contentes com os respetivos shows.

O Festival da praia de Santa Maria, que estava previsto para começar as 21h00, arrancou por volta das 22h30 com a habitual atuação da Banda Municipal do Sal, que este ano foi constituída na sua maioria por crianças e jovens. “Pela prestação que deram, foi uma boa atuação. E parece que o público gostou também”, disse Domingos Moreira, um dos responsáveis da banda.

Seguiu-se a atuação do elenco musical “Veterânia” constituído por quatro artistas da velha guarda. Otaldina Ramos, Joaquim Santos, Homero Delgado e António Luis brindaram o público com vários temas mais antigos.

Da cidade da Praia, chegou a banda Primitive que dividiu o palco com Pex Show. “Força Cabo Verde” e  “Infância” foram algumas das músicas que a banda apresentou no festival.  “Ficamos surpreendidos ao vermos várias pessoas a cantar as nossas música. Estamos contentes”, afirmou no final o vocalista da banda, Bruce.

A mesma fonte revelou ao SAPO, que a próxima paragem do grupo é o Brasil, onde vão dar início a uma tournée de apresentação do primeiro CD intitulado “Odju Ta Txekou”. Bruce revelou  ainda que o grupo está a preparar um novo álbum.

De seguida foi a vez dos artistas do bloco “Dance House”.  Djarilene Paris foi a primeira a pisar o palco. A mindelense que atuou pela primeira vez no certame brindou o público com os temas “Diamonds” de Rihanna, “Beija-me” de Djodje, “Mim é né amdjer pa bô” e “Sodade”.

De Mindelo também chegou a artista Elly Paris que levou o público ao rubro com várias músicas entre as quais “Kondê”e “Snap Boy”. Pela primeira vez no festival, a artista subiu no palco visivelmente emocionada. “Quando deparei-me com todo aquele público a receber-me no festival, fiquei emocionada. Senti-me em casa com essa boa “vibe” dos salenses”.

Elly Paris revelou ao SAPO que está a trabalhar num novo projeto que vai trazer ritmos diferentes. “Muitas pessoas consideram-me uma cantora de R&B, mas considero-me uma cantora diversificada”.

A cantora natural da cidade da Praia, que reside em Portugal, Gama também estreou-se no Festival de Santa Maria. “Mas” e “Na casa nka ta fika” foram alguns dos temas apresentados. Segundo a artista, que vai lançar este mês um single intitulado “Looking baby”, o show foi “muito bom”.

Também na sua estreia no festival, o artista santomense, Juka presentou o público com temas como “A sério”, “Angelina” e “Sodad”, a última em homenagem a Cesária Évora. “Venho ao país há vários anos, mas é a primeira vez que atuo no Santa Maria. Estou muito feliz”.

Após 15 anos sem pisar o palco do Festival Santa Maria, o artista angolano Don Kikas voltou a marcar presença no evento que todos os anos reúne artistas nacionais e internacionais num só palco. A cantora Leontina Fortes, de São Nicolau, foi a convidada especial do cantor que interpretou temas como  “Angolanamente sensual “, “Na lama do amor”, “Volta” e “Sexta-feira”. “Foi muito bom. As pessoas são muito simpáticas, carinhosas e tem a famosa morabeza”.

O relógio marcava 04h40 quando o público começou a gritar o nome de  Ky-Mani Marley, que seria a próxima atuação. O artista que este ano, esteve no país a gravar um single, levou o público ao delírio com vários temas do seu repertório.  O filho de Bob Marley terminou o show com a bandeira de Cabo Verde nas mãos.

O Deejay Telio, a última atuação da noite e uma das mais aguardadas, começou por volta das 06h40. O público mais jovem vibrou do início ao fim  durante a atuação do artista que partilhou o palco com Deedz B. “Esfrega esfrega”, “Não atendo” e “Ficou” foram alguns dos temas interpretados pelos cantores que tiveram que encerrar o Festival Santa Maria antes do tempo previsto devido a um corte de energia.

“Apesar de nos últimos minutos do show, o gerador ter parado de funcionar, foi espectacular. Não é motivo de tristeza, uma vez que, o resto do show correu lindamente. Só tenho que agradecer os salenses. Foi Incrível”, diz o Deejay Télio em entrevista ao SAPO.

Primeiro dia do Festival sem transmissão em direto da TCV

A Produtora Muzika TV e a Televisão Nacional (TCV) eram as emissoras responsáveis pela transmissão em direto da 28ª edição do Festival Santa Maria, contudo, na abertura do certame, a TCV optou por não fazer o direto alegando falta de segurança e condições técnicas.

“Tivemos muitos constrangimentos no que tange ao transporte de materiais da cidade da Praia para o Sal, bem como dificuldades financeiras. Apesar disso montamos uma estrutura para fazer a transmissão, mas a organização do festival não nos garantiu condições de segurança para trabalhar. Para além disso surgiu outro problema, a transmissão era exclusiva da TCV, mas deparamos com outro canal a fazer o mesmo. E como se não bastasse, colocaram um palanque em frente ao de TCV, impedindo o nosso ângulo de visão”, afirmou indignado Waldemar Pires, da TCV.

O festival foi transmitido online na Muzika TV, bem como na Rádio Nacional, RCV. A transmissão da TV nacional pode vir a ser retomada hoje caso haja condições para tal.

A 28ª edição do Festival Santa Maria prossegue hoje, dia 15, com atuação de “Ilha Onze”, Cabo Verde Show, RaçaMau Show, Morgan Heritage e Black Side.