De acordo com o comunicado, a Câmara Municipal de São Vicente apresentou à CVMóvel uma proposta financeira de 1 milhão de escudos para a colocação da antena. Este serviço tem como propósito reforçar a cobertura, de forma a evitar congestionamentos de rede e assegurar qualidade de serviço aos clientes e munícipes de S. Vicente.

A instalação da antena tem sido feita nos festivais anteriores e este ano a quantia exigida é “cinco vezes maior do que aquele que foi pago em 2013, pelos três dias do evento”. E para a empresa de serviços telecomunicações, esta decisão “visa afastar a CVMóvel de assegurar aos seus clientes qualidade do serviço público de telecomunicações móveis que deve ser prestado”.

Para a empresa, esta decisão da edilidade Mindelense coloca causa é a prestação de um serviço público de telecomunicações e o compromisso que a operadora tem com os seus clientes.

A CVMóvel chama atenção do público para eventuais situações de congestionamento nas comunicações móveis durante a 30ª edição do festival da Baía das Gatas.

Entretanto, a empresa garante que vai continuar a envidar todos os esforços no sentido de ultrapassar constrangimentos maiores junto dos clientes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.