O auditório do Cine-ASA foi pequeno para todos os que quiseram marcar presença nesta edição do evento. A noite começou já perto das 21h00 com elementos da Escola de arte Tututa.

O público foi sendo embalado por mornas, mazurcas e coladeiras de vários compositores cabo-verdianos. Pelo palco passaram Nelson Delgado e Manuel Ramos, mais conhecido por Lela, aos quais juntou-se Maninho Almeida.

Já sozinho, Lela interpretou alguns clássicos como o tema “I did it my way” de Frank Sinatra e arrancou uma ovação do público presente.

Seguiu-se a dupla Gil e Antero Simas que tocaram temas tradicionais como é o caso da morna “Doce Guerra”, celebrizada na voz da falecida diva Cesária Évora.

A noite teve lugar para a entrega de diplomas a todos os participantes de mais uma edição da Noite de Guitarras, que segundo o vereador de Cultura da Câmara do Sal, Ildo Rocha, já faz parte da agenda das festividades do município.

O edil do Sal, Jorge Figueiredo, fez questão de salientar a importância dos instrumentos de cordas no quotidiano dos cabo-verdianos, sempre presentes “quer nos momentos de alegria quer de tristeza”.

Já perto do final, o homenageado, o salense Alcides Brito, mais conhecido por "Tchinoa", mostrou-se emocionado com a distinção que afirmou receber com muito orgulho.

A noite contou ainda com a performance de “mais dois veteranos de guitarra, Silvestre Reis Cruz, mais conhecido por Nho Reis, e Tomás Delgado. E ainda do guitarrista português, Silvestre Fonseca.

As festividades dos 80 anos do município, dos 175 anos após a morte de Manuel António Martins, o povoador da ilha do Sal,  prosseguem na sexta-feira, com o arranque do Festival Santa Maria.

 

Veja as fotos aqui

 

 

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.