O músico santomense Juka marcou presença na 28ª edição do Festival Santa Maria que teve lugar no Sal. O artista presentou os salenses com diversos temas de sucesso como “Allo Cherry”, “A sério”, “Amiga” e ainda cantou o tema “Sodade” em homenagem à malograda artista Cesária Évora.

“Achei que tinha que fazer essa homenagem a Cesária Évora e a “Sodade” também fala da minha terra natal. Ainda lembro quando conheci a Cize na ilha do Sal. Vim participar no festival, não como Juka a solo, e naquela altura conheci-a nesta ilha maravilhosa”, adiantou o artista em entrevista ao SAPO.

Para Juka a Diva dos Pés Descalços ainda é uma referência no continente Africano. “Antes de eu nascer, ela já estava no mundo da música e, internacionalmente, não há comparação possível. Para mim, na comunidade dos PALOP, a Cesária Évora está no primeiro lugar. Basta cantar “Sodade” que todas as pessoas já sabem o que é. Considero-a (ainda) uma das embaixadoras da música de África e vai continuar a ser”.

O músico revelou ainda que está a preparar um novo trabalho discográfico que vai contar com a participação de alguns artistas cabo-verdianos entre os quais Tito Paris.

“Tenho uma ligação forte com o Tito Paris”, revelou e acrescentou que o álbum está previsto acontecer entre o final de novembro e início do mês de dezembro. “Vai ser um presente de Natal e Fim de Ano”.

Juka é natural de São Tomé e Príncipe, mas diz que tem Cabo Verde no coração, inclusive, chegou a viver cerca de 4 meses na ilha da Brava. “Morei com uma cabo-verdiana com a qual tive uma filha que este ano vai completar 10 anos. Neste momento, estou ligado ao arquipélago. Como costumo dizer:  “Sou o Juka de São Tomé e Príncipe mas com Cabo Verde no coração”, conclui.