Esta é uma aposta que a organização pretende ganhar com recurso, para já, a violinistas vindos dos diversos municípios geminados com o município da Ribeira Grande, mas também com outros que serão convidados no âmbito do festival Sete Sóis sete Luas.

O presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Orlando Delgado, fez o anúncio durante o certame que decorreu até por volta das 04:00 da madrugada de hoje e que, no entender do edil local, “tem balanço altamente positivo”.

“Temos a grande satisfação de ver a praça cheia, sobretudo, com muitos emigrantes em férias”, disse Orlando Delgado, que fez coincidir a data do festival com a do encontro anual com os emigrantes como uma forma de “homenagem ao emigrante”.

A assistência deu nota positiva ao evento, embora haja pessoas que consideram que muito mais podia ser feito para que o festival fosse “muito melhor do que aquilo que é, neste momento”.

Na antevisão da realização do evento, o vereador da Cultura da Câmara Municipal da Ribeira Grande referia-se ao festival como um “encontro de várias gerações de violinistas”, tendo em conta que participaram, nesta edição, violinistas jovens e seniores.

Participaram de 13 violinistas de várias ilhas do país, lá onde este instrumento é tradicional, nomeadamente, de Santo Antão, de São Vicente, de São Nicolau, do Sal, da Boa Vista e do Fogo.

O festival deste ano serviu de corolário ao encontro que a Câmara Municipal da Ribeira Grande promove, anualmente, com os emigrantes em férias.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.