De acordo com o anúncio tornado público na página de Facebook da edilidade santa-cruzense, o concurso tem por finalidade a concessão da produção e realização do Festival da Praia d’Areia Grande 2019 que, anualmente, se realiza por altura das festividades do Dia do Município e Santo Padroeiro São Tiago Maior, assinalado a 25 de julho.

Conforme a edilidade, o caderno de encargos poderá ser adquirido por 5.000 escudos na Câmara Municipal de Santa Cruz, de 02 a 13 de maio.

O certame também conhecido por Festival de Nhu Santiago foi realizado pela primeira vez pelo setor privado em 2018.

Na altura, o presidente da autarquia Carlos Silva justificou a decisão de passar o evento para o setor privado com o mau ano agrícola, tendo assegurado que o festival, que nos últimos 25 anos foi realizado pela autarquia, vai continuar nas mãos do setor privado nos próximos anos.

Com esta “ponderação”, revelou que a câmara municipal vai economizar oito mil contos que gastava neste certame, cujo orçamento mínimo anual é de 15 mil contos.

Para além do mau ano agrícola, o edil justificou a decisão de passar o evento para o setor privado, por entender que os festivais têm que ser realizados por essas empresas e não pelas autarquias, à semelhança do que tem defendido o ministro da Cultura, Abraão Vicente.

O autarca assegurou que mesmo passando o certame, para os privados, o mesmo vai manter a qualidade que passa por um “bom cartaz”, assim como o local de realização (Praia d’Areia Grande) e vai continuar a ser pago.